quarta-feira, 24 de agosto de 2005

Incêndio na floresta de Carajás avança e consome área em Serra Pelada
(Fonte: site Amazonia.org.br - jornal O Liberal - 23/08/2005)

A área do incêndio na Floresta Nacional (Flona) de Carajás, localizada no município de Parauapebas, já atinge 584 hectares, isto é, cresceu 84 hectares nos últimos sete dias. Para se ter uma idéia dos estragos, a área consumida pelo fogo corresponde a mais de 500 campos de futebol do tamanho do “Mangueirão”, localizado em Belém. A última informação repassada ontem pelas equipes do Corpo de Bombeiros que atuam na área era de que o fogo já havia chegado a alguns pontos de Serra Pelada, onde funcionou o maior garimpo do país. Nem toda essa extensão, porém, está destruída, já que nas áreas com maior umidade e vegetação verde o grau de queima foi menor. As áreas mais prejudicadas situam-se na reserva de extração mineral da Serra de Carajás.
De acordo com o capitão Roberto Pamplona, que comanda a operação na região, uma equipe de 15 homens do Corpo de Bombeiros integrou ontem o grupo que se dirigiu para a Serra Pelada e que incluiu ainda agentes da Defesa Civil de Parauapebas. Segundo o capitão, o controle do incêndio, que já dura 24 dias, depende principalmente de chuvas na região. A missão dos bombeiros é eliminar por completo todos os focos de incêndio.
O incêndio na Flona de Carajás começou no último dia 31 de julho, mas somente o laudo final da perícia, que deverá sair nos próximos 15 dias, é que vai apontar a real causa do desastre. A Flona Carajás tem 411,9 mil hectares.
Quando foi criada, em 1998, a concessão para atividades de pesquisa e lavra mineral que a Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) já realizava na área foi mantida. Este não é o primeiro incêndio de grande dimensão na floresta, que em 2003 já queimou por cerca de dez dias, também no mês de agosto. Na ocasião foram destruídos cerca de 550 hectares de 325 mil hectares da floresta nacional onde está instalado projeto da Companhia Vale do Rio Doce. Só este ano, a Flona de Carajás já passou por outros sete focos de incêndio.
A principal razão, segundo peritos do Corpo de Bombeiros, é que a área já foi muito modificada pela ação humana, principalmente por causa da mineração. No entanto, os outros focos ocorridos este ano foram rapidamente controlados e não causaram grandes estragos.

2 comentários:

Jôka P. disse...

Isso é horrível !!!
HORRÍVEL !
Fico lembrando do desenho animado de Disney , "Bambi", que mostrava um incêndio muito realista onde morria a mãe do veadinho.
Tive pesadêlos com isso durante anos a fio...
Sera que rolou alguma identificação ?
:)
JÔKA P.

Angela Ursa disse...

Pois é, Jôka, é de doer o coração ler uma notícia dessas e não poder fazer nada, ir lá punir os culpados. Quanto ao desenho do Bambi, é um exemplo mesmo desse tipo de catástrofe em que vários animais são mortos de forma brutal pelo fogo. Beijos!!