domingo, 4 de setembro de 2005

Pajé Itambé - Nome de batismo Alberto Espírito Santos Matos, 65 anos. Nasceu em Caraíva, dentro dos limites da reserva indígena Pataxó de Barra Velha. Casado com Maria José da Conceição, 43 anos, nascida em Alcobaça, BA. A esposa tinha 16 anos e um filho de seis meses (Antônio) quando chegaram em Coroa Vermelha, em 1972. Hoje o casal tem com 8 filhos e é o embrião na formação da aldeia. Itambé começou a vida trabalhando na roça, pescando e construindo canoas. Atualmente tem loja de produtos homeopáticos. (Foto tirada em 21/04/1999 - Fotógrafo: José Geraldo Pimentel - Fonte).


A natureza segundo o povo indígena (Fonte )
As concepções da natureza certamente variam bastante conforme o povo indígena que consideremos. Porém, se algo parece comum a todos eles, é o fato de que a natureza está sempre em interação com a ação humana, não é jamais intocada. Os Yanomami, por exemplo, utilizam a palavra urihi para se referir à "terra-floresta": entidade viva, dotada de um "sopro vital" e de um "princípio de fertilidade" de origem mítica. Urihi é habitada e animada por espíritos diversos, entre eles os espíritos dos pajés yanomami, também seus guardiões. A sobrevivência dos homens e a manutenção da vida em sociedade, no que diz respeito, por exemplo, à obtenção dos alimentos e a proteção contra doenças, depende das relações travadas com esses espíritos da floresta. Dessa maneira, a natureza, para os Yanomami, é um cenário do qual não se separa a intervenção humana.

3 comentários:

Jôka P. disse...

Se colar acima dos links, acho que dá...

Palpiteira disse...

Tou tonta de ver o pajé com loja de produtos homeopáticos. Hehehe. Que doideira. Queria tanto que esse povo estivesse na mata, cuidando dela como sempre fez. Sinceramente, a contaminação com o homem branco pode acabar com uma história maravilhosa, cheia de encanto e magia. Ainda bem que temos vc por aqui, para nos contar essas maravilhas todas.
Beijão e bom domingo.

Angela Ursa disse...

Amigo Jôka, vou tentar trocar o calendário de lugar. Obrigada por tudo! Beijos!

Amiga palpiteira, eu imaginei que você não ia gostar desse pajé urbanizado (risos). Mas a Ursa gosta de homeopatia porque é baseada em princípios da natureza. Beijos!