terça-feira, 4 de outubro de 2005

Campanha Guarani para Demarcação da Terra Indígena Morro dos Cavalos
O futuro da Aldeia Guarani depende da Demarcação!
Desde 9 de Agosto de 2005, os indígenas Guarani da Aldeia Morro dos Cavalos, município de Palhoça, Santa Catarina, começaram a chamar aatenção dos brasileiros e do mundo com a Campanha para Demarcação de sua área.Localizada numa região habitada por essa nação indígena desde tempos imemoriais, a Terra Indígena Morro dos Cavalos já passou todas as fases previstas na Constituição Nacional (Art. 231 e Decreto 1775 de 1996) para demarcar uma área indígena tradicional, porém enfrenta agora a mais difícil caminhada, conseguir Justiça. Esperando a assinatura do Ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos há quase 2 anos (desde 6 de Novembro de 2003), sendo este o último prazo para o Ministério dar um parecer sobre o processo de demarcação iniciado em outubro de 2001, e dizendo um "Já Basta!" às forças políticas que emperram a finalização do processo, é que a Comunidade Guarani de SantaCatarina se uniu para buscar apoio de ouvidos atentos a sua causa.
Atualmente vivendo em uma estreita faixa de terra com menos de 10 hectares, 150 pessoas com suas casas grudadas no morro, correndo riscos à saúde e a perda da cultura, devido à influência demasiada do sistema não-indígena, como também pela falta de área apropriada para plantio e auto-subsistência, a venda de artesanato e doações de amigos é o que livra da fome.

Você pode apoiar através do site: www.terraguarani.org.br enviando e-mail para gabinetemj@mj.gov.br, ou pelo fone 0xx61 3429 3101 ou fax 0xx61 33226817.
Email:: aldeiamorrodoscavalos@ig.com.br

3 comentários:

Lia Noronha disse...

Ursa: que foto deslumbrante...esse encontro das águas é uma prova mais do que viva de que a Natureza é sábia e muito poderosa!
Boa tarde de terça-feira e beijos carinhosos.

Margaret Dal-Ri disse...

É inacreditável de que aquele que já foi o dono destas terras, hoje tenha que lutar para ter um pedacinho.
Quanto ao encontro das águas do amazonas/negro é uma coisa indescritível ver de perto(como vi) que suas águas não se misturam.
Seus pássaros e borboletas aqui desta página,anunciam nossa primavera.

Angela Ursa disse...

Olá, Margaret! Então, você teve o privilégio de ver o encontro das águas! Que beleza! Acho um lindo mistério as águas não se misturarem. Beijos!