domingo, 13 de novembro de 2005

(Fonte da imagem)

Tragédia com ambientalista que defendia o Pantanal
(trechos de matérias publicadas no site Terra )
Morreu nesta manhã o ambientalista que ateou fogo ao próprio corpo em manifestação no centro de Campo Grande ontem. Francisco Anselmo Barros, presidente da Fuconams (Fundação para Conservação da Natureza de MS), estava internado na Santa Casa de Campo Grande e sofreu queimaduras em 100% do corpo.
Ele participava ontem de uma manifestação contra o projeto do governo do Estado que propõe a instalação de usinas álcool na Bacia do Alto Paraguai, que faz parte do Pantanal.

Ambientalista deixou cartas a amigos e familiares
A polícia descobriu que ele deixou pelo menos 15 cartas endereçadas a familiares, amigos e à imprensa. No documento endereçado aos veículos de comunicação, Barros faz críticas à ação do governo federal em questões como a transposição do rio São Francisco, reforma agrária, e, acerca do Pantanal, criticou duramente as propostas para a navegação no rio, implantação dos pólos siderúrgico e gás químico, além do projeto sobre a instalação de empreendimentos sucroalcooleiros na BAP (bacia do Alto Paraguai).
"Já que não temos votos para salvar o Pantanal, vamos dar a vida para salva-lo", finalizou, em referência a posição dos parlamentares do Estado quanto à votação do projeto do Executivo estadual, que pretende autorizar a instalação de usinas na região.
O ambientalista, que também era jornalista, ocupou cargos no Conselho Municipal de Controle Ambiental, foi membro da Associação Brasileira dos Jornalistas de Turismo, da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra, diretor executivo da Editora Saber Ltda, diretor executivo da Associação de Fomento e apoio às Artes e à Cultura em Geral. Filiado ao Fórum Brasileiro de ONGs, à Associação Brasileira de ONGs e participante da Rede Rios Vivos, Rede Pantanal, Rede Aguapé de Educação Ambiental, Rede Cerrado, Instituto Socioambiental, WWF, Conservation International e SOS Mata Atlântica e coordenador do Fórum de Meio Ambiente e Desenvolvimento de Mato Grosso do Sul e de Fórum de Defesa do Pantanal.
(Campo Grande News)

6 comentários:

Janaina Staciarini disse...

Nossa, Angela, que coisa triste termos de chegar a este ponto para chamar a atenção para algo que deveria já estar resolvido há tempos... eu fico chocada.

Lia Noronha disse...

Ursa: a Natureza zelará pela alma deste grande homem!
Boa noite de Domingo e beijos carinhosos.

Angela Ursa disse...

Janaína, também fiquei arrasada com essa notícia. Imagino o desespero desse ambientalista para ter tomado essa atitude extrema. Beijos!

Lia, obrigada pelas lindas palavras! Que Tupã e nosso Deus olhem pela alma dele sim! Beijos!

Margaret Dal-Ri disse...

Li esta reportagem esta manhã e fiquei impressionada.A que ponto teremos que chegar para que nos ouçam? A imolação?

Saramar disse...

Uma tragédia e nem assim, as autoridades se sensibilizam, ocupadas que estão em salvar a própria pele.

Angela Ursa disse...

Margaret e Saramar, infelizmente, parece que as autoridades têm coração de pedra, tamanha a insensibilidade que demonstram! Beijos da Ursa