segunda-feira, 21 de novembro de 2005

Mundo Pequeno
(do livro "O Livro das Ignorãças", trecho de poema de Manoel de Barros - Fonte)
I
O mundo meu é pequeno, Senhor.
Tem um rio e um pouco de árvores.
Nossa casa foi feita de costas para o rio.
Formigas recortam roseiras da avó.
Nos fundos do quintal há um menino e suas
latas maravilhosas.
Todas as coisas deste lugar já estão comprometidas
com aves.
Aqui, se o horizonte enrubesce um pouco, os
besouros pensam que estão no incêndio.
Quando o rio está começando um peixe,
Ele me coisa
Ele me rã
Ele me árvore.
De tarde um velho tocará sua flauta para inverter
os ocasos.

5 comentários:

falares disse...

Lindo, lindíssimo.
Angela, aprendi, com você a amar o Manuel de Barros, do qual conheci apenas aeuqle poema que postei no meu bloguinho.
Obrigada, mestra

Beijos

Margaret Dal-Ri disse...

Aco que este mundo de que fala não é "pequeno" como diz a poesia, pois abarca o universo.
Árvore,rio e peixes,roseiras no quintal, menino, aves, a rã e o ocaso de um velho tocando a flauta.

Angela Ursa disse...

Saramar, o Manoel de Barros é um lindo poeta mesmo, cujo coração está sempre ligado à natureza. Eu imaginei que você ia gostar desse poema. Beijos!

Margaret, é verdade, esse "pequeno" mundo é imenso. Beijos da Ursa

Jôka P. disse...

DonaUrsa,
até eu que não sou chegado à poesias ...GOSTEI !!!
E o gif é lindo.
Bjs,
JÔKA P.

Angela Ursa disse...

Jôka, fico muito feliz de você ter gostado do poema do Manoel de Barros. Vou procurar outros e, de vez em quando, colocarei aqui na Floresta. Beijos carinhosos da Ursa!