terça-feira, 28 de março de 2006

Máscara cara-grande - Tribo Tapirapé - Coleção WaldeMar de Andrade e Silva (Fonte da imagem: Estadão)

índio tapirapé (Fonte da imagem)

Povo Tapirapé perde seu mais importante cacique
(Fonte:
ISA- Instituto Socioambiental )
Marcos Xako'iapari, principal liderança do povo indígena Tapirapé, que habita a região nordeste do Mato Grosso, faleceu no último dia 18 de março. Ao longo de sua vida, o cacique testemunhou a fuga e o quase desaparecimento de seu povo, em razão de conflitos com outros índios e de numerosas doenças trazidas pelo homem branco, como também a recuperação da população Tapirapé, hoje estimada em cerca de 500 indivíduos. No dia 18 de março faleceu o cacique Marcos Xako’iapari, líder dos Tapirapé, povo indígena que vive na região nordeste do estado do Mato Grosso. Afetado por um derrame desde janeiro de 2005, Marcos não podia mais andar e estava com a saúde debilitada, sendo que ultimamente já não conseguia mais se alimentar. Veio a falecer na Terra Indígena Urubu Branco, área que os Tapirapé conseguiram retomar em 1993. Tinha 85 anos de idade. Ele fez parte do grupo que se estabeleceu na Barra do rio Tapirapé, perto do posto do então Serviço de Proteção ao Índio (SPI), na década de 1950, quando o povo Tapirapé começou a se recuperar e ver aumentar o número de indivíduos da etnia. Hoje a população Tapirapé está estimada em cerca de 500 indivíduos. Apesar do contato com a sociedade nacional, o cacique se preocupou em dar a seus filhos e aos Tapirapé os conhecimentos da língua e dos costumes indígenas e as regras do modo de ser Tapirapé. Ele era grande cantador e contador de histórias e formou outros homens para levar adiante os rituais tradicionais de seu povo.

7 comentários:

Taia disse...

Será que alguém vai continuar o seu trabalho?
Espero que sim.
Beijo.

Diana disse...

Olá....

Que triste né.....
A floresta está chorando .....
Bjs...

Jonas Prochownik disse...

Vc. continua nota 10 com o teu trabalho. Beijos sinceros de admiração. Jonas.

Janaina Staciarini disse...

Eu acho simplesmente incrível vir aqui. Sempre um prazer. Beijos!

Daia disse...

Oi, amiga.
Importante trabalho desenvolvido pelo Cacique. Não só por ter resgatado a cultura de seu povo, mas por formar outros visando dar continuidade ao seu legado.
Sábio homem!
Abraços.

Daia disse...

Oi, amiga.
Eu de novo: tem notícia da nossa amiga Nanbiquara?

Angela Ursa disse...

Taia, felizmente, a matéria diz que o cacique formou outros homens para perpetuar os rituais e tradições do seu povo. Beijos!

Diana, é muito triste a perda de um cacique para o seu povo. Beijos!

Jonas, agradeço as suas palavras. Beijos florestais da Ursa!

Janaína, que a floresta traga sempre paz e muitas coisas boas a você. Beijos!

Daia, o trabalho desse cacique mostra a importância dele para os Tapirapé.
PS: Eu também não tenho recebido notícias da Nanbiquara, desde que o computador dela deu defeito. Outro dia, deixei um comentário no blog dela, mas ainda não recebi resposta. Beijos da Ursa!