terça-feira, 18 de abril de 2006




Artesanato Timbira (Fotógrafo: Bento Viana)

Nação Timbira (Fonte: site CTI - Centro de Trabalho Indigenista)
Krahô, Gavião-Pykopjê, Krikati, Apinajé, Canela-Apãnjêkra e Canela-Ramkokamekra, são povos que formam a chamada nação Timbira. Falantes de uma língua do tronco Jê, foram ocupantes tradicionais de uma grande extenção de terras situada nos cerrados do norte do Tocantins e sul do Maranhão e colonizada a partir do século passado por frentes agropastoris.
Sua população atual ultrapassa cinco mil pessoas, distribuídas em 28 aldeias.
Atualmente os territórios ocupados pelos Timbira são descontínuos, formando pequenas ilhas que variam entre 50 a 300 mil hectares, cercadas ou invadidas por pequenas fazendas de criação de gado - totalizando 774 mil ha de cerrados e 62 mil hectares de floresta sub-tropical.
Estas terras estão localizadas numa região onde os conflitos pela posse da terra são violentos.
Nas últimas décadas, a região de Imperatriz (MA) e Araguaína (TO) tem sido alvo de empreendimentos subsidiados por incentivos fiscais visando a industrialização da região.
Para a grande maioria dos Timbira, entretanto, este processo tem significado apenas a invasão e a retaliação de suas terras, com a passagem de estradas de rodagem, linhas de alta tensão e a conseqüente pressão sobre seus recursos naturais.
Apesar do contato permanente com a sociedade nacional há mais de um século e de toda a pressão advinda com o "desenvolvimento" da região, os Timbira têm coseguido manter seus padrões socioculturais.
A reprodução do seu ethos é garantida pelo sistema ritual, as "festas" - valorizadas e apoiadas pelo CTI. Essas festas - marcadas por cantos e corridas com toras específicas - exigem uma farta distribuição de alimentos. Hoje em dia algumas festas se prologam em período de latência por vários meses, até que a aldeia promotora possa providenciar os alimentos e outros itens necessários para a conclusão. Esse rituais marcam a solidariedade necessária ao convívio nas aldeias e são momentos em que se enfatizam as regras de comportamento.

4 comentários:

spersivo disse...

Ursa,
Magnificas fotos!Lindo mesmo! Passei uma páscoa sonorífera e modorrenta, mas sua mensagem e sua borboleta me parecem chocolate! Araras, uirapurus & muito sucesso para você! Sempre visito mesmo quando não deixo comentários. Acho seu blog lindo e importante. S.

Angela Ursa disse...

Oi, Silvio! Obrigada pela sua visita da madrugada e pelas suas palavras! Está seguindo o fuso horário florestal da Ursa? ;)) Beijos de borboleta de chocolate!

Diana disse...

Olá....

Lindo esse trabalho..essas tramas.....
Bjs....

Angela Ursa disse...

Diana, é mesmo lindo o artesanato Timbira. Beijos floridos da Ursa :))