sexta-feira, 14 de abril de 2006

Lideranças indígenas no Acampamento Terra Livre - 2006 - Foto: Ailson Truká (Fonte: CIMI)

Polêmica na Conferência Indígena (Fonte: jornal Diário da Serra, 14/04/06)
Mais de 550 lideranças indígenas da Mobilização Abril Indígena, que representam 86 etnias, divulgaram abaixo-assinado manifestando posição contrária à Conferência Nacional dos Direitos Indígenas. O movimento não reconhece a representatividade da Conferência, ao considerar que uma outra será elaborada, "dentro de um espaço que conta com a participação paritária dos povos indígenas e de representantes do Estado brasileiro". Segundo Daniel Coxini, da etnia Carajá, a conferência interessa aos índios. "Estamos no século 21. A maioria dos índios tem nível superior, já sabemos o que queremos. Queremos participar do desenvolvimento do Brasil e trabalhar conscientemente como cidadãos, preservando a nossa cultura, o meio ambiente, respeitando a sociedade brasileira", afirmou Coxini, para quem a conferência é o espaço ideal de onde se pode extrair uma nova proposta para o Estatuto do Índio.
________________________

Informe nº 710: Acampamento Terra Livre 2006 não reconhece legitimidade na Conferência da Funai (Trecho de matéria publicada no site CIMI, 12/04/2006)
As 550 lideranças indígenas reunidas no acampamento Terra Livre de 2006, realizado na primeira semana de abril em Brasília, externaram sua posição sobre a Conferência Nacional dos Povos Indígenas, que está sendo organizada pela Funai e terá início na noite desta quarta-feira, 12 de abril, em Brasília.

Uma das conclusões do acampamento é que, decorridos três anos do governo Lula e apesar dos instrumentos propostos na campanha presidencial para a construção de uma política indigenista com a participação dos povos e do movimento indígena e indigenista, este governo ainda não realizou a necessária mudança nos rumos da política indigenista. E a Conferência Nacional marcada pela Funai, pela forma como foi construída, não será o instrumento para alterar esta política. “Em momento algum da construção inicial dessa Conferência os movimentos foram solicitados”, afirmou Ilton Tuxá, coordenador da Apoinme.
A crítica realizada pelos movimentos indígena e indigenista passa pela centralização das definições sobre temas e participantes das Conferências regionais, que foram concentradas pela Fundação Nacional do Índio. Foi o presidente da Funai que, através de uma portaria, convocou as Conferências regionais, estabeleceu a pauta e a forma de discussão dos temas por ele escolhidos e criou critérios para eleições dos representantes sem discutir previamente com povos e organizações indígenas, contrariando todas as indicações do movimento indígena, que tem lutado para criar canais de participação dos povos e de suas entidades representativas na construção das políticas públicas votadas aos seus povos. Os convites para a participação nos processos, quando existiram, foram posteriores às definições.
“A atual política indigenista deste Governo é retrógrada, tutelar e oficialista, confundindo os interesses dos povos indígenas com os interesses da Funai, pretendendo confundir o órgão indigenista com a política indigenista. Uma demonstração desta política ocorreu na organização e convocatória das pré-conferências regionais, onde a Funai pautou as discussões somente em cima dos seus interesses”, afirmaram os participantes do 3o. Acampamento Terra Livre, realizado na primeira semana de abril, em Brasília, em moção sobre a Conferência.
“Por isso é que nós não reconhecemos nesta Conferência legitimidade para propor uma política indigenista que venha tão somente reforçar a tutela e o órgão tutor ou ainda aproveitar este espaço para legitimar o encaminhamento de questões cruciais para os povos indígenas por meio de projetos de lei avulsos e que não tramitem no Congresso no âmbito do Estatuto dos Povos Indígenas que ali se encontra”, completam.

8 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Minha querida,
aqui também estou de olho na lua que teima em entrar no meu quarto,a seu redor muitas estrelas e um vento leve delicioso.
Feliz Páscoa minha amiga, harmonia,paz e muito amor para todos os povos!
beijossssssssssssss

Matilda Penna disse...

Uma ótima Páscoa para você, Angela, tudo de bom.
Beijos, :)

Jôka P. disse...

Uma Páscoa florestamente feliz pra você e sua amadíssima tribo, querida índia Ursa Sentada !!!
Bjs!
JÔKA P.
:D

Angela Ursa disse...

Márcia Clarinha, então, você vê essa linda lua do seu quarto? É muito bom poder olhar as estrelas e a lua antes de dormir! Beijos de Páscoa!

Nanbiquara, obrigada, amiga! Beijos de Páscoa!

Jôka, uma Páscoa linda para a sua querida família. Beijos de chocolate para você e Gigi! Um carinho para a coelha Cindy :))

Alba Regina disse...

Amgela, em que outro lugar eu posso entrar e escutar este canto que eu amo tanto??? Sem falar no panda...só aqui mesmo! Feliz páscoa minha querida. Tudo de bom e muita, muita Paz!!! Beijo enorme.

Diana disse...

Feliz Pascoa D. Ursa.....e que ela se faça todos os dias do ano....
Bjs....

Daia disse...

Oi, amiga.
Espero que que haja um consenso entre as lideranças indígenas, para o fortalecimento das reivindicações e dos direitos indígenas.
Doce Páscoa, minha querida, para você e os seus!
Beijos.

Angela Ursa disse...

Rainha Albinha, a índia, o uirapuru, o panda e toda a floresta ficam muito feliz com a sua visita! Beijos de chocolate!

Diana, tenha uma ótima Páscoa nessa cidade linda de Curitiba! Beijos de chocolate!

Daia, que essa Páscoa traga muita paz para nós e nossos irmãos índios. Beijos!