quinta-feira, 8 de junho de 2006

O ritual funerário dos Bororo (MT) é um momento especial de socialização dos jovens. Não só porque muitos deles são formalmente iniciados, mas, também, porque é por meio de sua participação nos cantos, danças, caçadas e pescarias coletivas que eles têm a oportunidade de aprender e perceber a riqueza de sua cultura. (Foto: Kim-Ir-Sam, 1973 - Fonte: Inst. Socioambiental.

7 comentários:

greentea disse...

e é tão importante preservarmos estes aspectos da cultura dos povos...

beijos para ti

Taia disse...

Se tem algo que me assusta, não sei em que tipo de tribo, é o lamento das índias.
É tão intenso...
Essa vestimenta é esplendorosa.
Bj

Diana disse...

Bom dia.......

Bem diferente da gente....é uma união mesmo....mesmo sendo na despedida....
Bjs....

Tom, um ser diferente... disse...

Ursa... tá acontencendo alguma coisa aqui em BSB com os índios...?? a cidade está cheia deles e o predio da FUNAI tá uma gritaria só!

Eu admiro muito os rituais funerários. Sempre é um momento de reflexão sobre o nosso real objetivo na vida.

Beijos Ursa!

Tom

Janaina Staciarini disse...

Adorei a foto. Adorei esses cocares.

Matilda Penna disse...

Lindos cocares, linda também a pintura.
Beijos, :).

Angela Ursa disse...

Greentea, você tem toda a razão! Beijos!

Taia, Janaína e Nanbiquara, esses cocares e essa pintura está muito bonitos mesmos!

Diana, eles têm um forte sentido de coletividade. Beijos da Ursa!

Tom, os índios estão no Planalto para protestar contra a construção da hidrelétrica Paranatinga II no Xingu. Vou postar uma foto. Beijos!!
PS: Aceita o convite de ser o correspondente Florestal para assuntos indígenas em Brasília? ;))