domingo, 25 de junho de 2006


Piquiá
(Fonte: Revista Nosso Pará)
Espécie hileiana, grande árvore dispersada em matas altas, de terra firme, concentra-se, principalmente, na região do estuário do Rio Amazonas.
Carnudo, amarelado de polpa, de sabor e cheiro inconfundíveis e característicos é apreciado muito mais pela população de baixa renda que o consome cozido, roendo a polpa direto do caroço, acompanhado de farinha de mandioca ou acrescentando-o, livre das cascas, no feijão, na carne cozida ou no arroz. Gostoso, também, é saboreá-lo com café preto, bem quentinho. A polpa fornece uma gordura branca e fina, bastante utilizada na cozinha cabocla e mesmo entre o povo da capital.

Receita de arroz de piquiá com charque:
Livre das cascas cerca de 6 a 8 piquiás. Dessalgue e afervente, mais ou menos, meio quilo de charque não muito gorduroso, cortando-o, após, em pedaços pequenos. Numa panela, de preferência de barro, coloque uma cebola média, cortada miúdo, uns três dentes de alho bem amassados, pimentinha verde e o charque. Não acrescente gordura. Leve ao fogo, mexa bem e a gordura existente no charque manterá o ponto ideal do refogado. Acrescente uma boa quantidade de temperos verdes (alfavaca e chicória) tudo miudinho. Ponha água e deixe o charque amaciar. Então, acrescente os piquiás, o arroz e água suficiente para cozinhá-lo. Prove o sal. O arroz de piquiá deve ficar suculento. Sirva bem quente, na própria panela e coma, seu mano, coma porque, ratificando, é um prato "pai-d´égua" de bom!

15 comentários:

Janaina Staciarini disse...

Aqui se chama Pequi.
É maravilhoso. Quem não conhece quase sempre se machuca quando come. Mas se tiver alguém para ensinar, é mmmmuito bom. Com arroz e frango então... uhmmmmmmm

Angela Ursa disse...

Janaína, é verdade, essa fruta é mais conhecida como Pequi. Beijos!

Kristal disse...

Conheço Pequi, mas nunca provei. Tem uns espinhos e pode machucar a boca.
Um beijo da
Kristal

Jôka P. disse...

A Kristal é minha amiga, Ursa.
Gente finíssima.
Bjs!
Jôka p.
:)

Angela Ursa disse...

Kristal, eu também nunca provei, mas já ouvi falar dos espinhos. Beijos da Ursa!

Jôka, sua amiga é sempre bem-vinda na floresta da Ursa! :)) Beijos!!

Cristiano Contreiras disse...

Desconhecia o tal piquiá.

boa semana!

Matilda Penna disse...

Arroz de piqui ou de piquiá é muito gostoso, tem uma cor linda, é bom!!
Beijos e uma semana maravilhosa, :).

Palpiteira disse...

Ursa, fico só com o cafezinho, tá? ;)
Bom dia procê.
Beijão.

Laura B. Martins disse...

Olá!
O selo da Floresta da Amazónia está no meu blog sobre o ambiente.
http://laurabmartins16.blogs.sapo.pt - Blog Reciclagem e Ambiente
Ainda está no início, mas vai.
Um abraço da poetisa Laura

Janaina Staciarini disse...

Todo mundo que vai comer Pequi pela primeira vez, a gente tem que ensinar direitinho, senão machuca a boca toda. Os espinhos são muitos... Mas é só não mastigar a fruta. Rói a polpa bem de levinho. Você vai provar um sabor inigualável.

GENÁ FRANCO disse...

Angela,
é o prato típico de Goiás: arroz com pequi, não é? Como muito quando visito minha tia em Caldas Novas. É super saudável. Gostoso! Vitaminado!
Beijos!

Angela Ursa disse...

Cristiano, obrigada pela visita! Abraços florestais da Ursa :))

Nanbiquara uma ótima semana para você também. Beijos da Ursa!

Super Palpiteira, aqui na Floresta só tem chás. Servida? Café não tem ;)) Beijos!

Laura, muito obrigada pela divulgação do selo. Beijos!

Janaína, agradeço as suas dicas sobre o pequi. Beijos floridos da Ursa!

Gená, então, você é fã de arroz com pequi. Qualquer hora eu preciso experimentar esse prato que tantos elogiam. Beijos!

sub rosa disse...

Conheço piquiá
E sempre fiquei me perguntando se será mesmo - a mesma coisa que piqui.
Só que comi piquiá desde pequenina, muito bem cozido e *JAMAIS soun=be que tivwesse espinho.
Por favor me tire isso a limpo, Garnade e querida URSA
beijos
Meg

Angela Ursa disse...

Meg, nesse site
http://www.bibvirt.futuro.usp.br/especiais/frutasnobrasil/pequi.html

e até no dicionário Houaiss, aparece o pequi como sinônimo de pequiá ou piquiá. Mas como eu nunca comi nenhum dos dois, não posso confirmar isso para você. Beijos da Ursa!

muhamad vitruvius disse...

olá, Ursa

muito boa tua iniciativa e o compromisso em defesa dos povos da floresta e do meio ambiente... parabéns!

depois de ler tua postagem sobre o piquiá também fiquei com uma dúvida sobre os termos "piquiá" ou "pequi".

nasci em minas e moro no pantanal mato-grossense... tanto lá como cá, conheço por pequi e acho muito gostoso, se bem que feito com frango, por exemplo, acabarás comendo o pequi com formatos de coxa, asa...rs (se não for bem "administrado", pode "roubar" o sabor dos outros alimentos, dado seu gosto bastante particular e forte.

mas para contribuir com as dúvidas surgidas aqui, copiei um pedaço da wikipédia que pode ajudar a esclarecer um pouco:

"O Pequi (Caryocar brasiliense; Caryocaraceae) é uma fruta nativa do cerrado brasileiro, muito utilizada na cozinha nordestina, do centro-oeste e norte de Minas Gerais. Dela é extraido um azeite denominado azeite de pequi. Seus frutos são também consumidos cozidos, puros ou juntamente com arroz e frango. Seu caroço é dotado de muitos espinhos, e há necessidade de muito cuidado ao roer o fruto, evitando cravar nele os dentes, o que pode causar sérios ferimentos nas gengivas. O sabor e o aroma dos frutos são muito marcantes e peculiares. Pode ser conservado tanto em essência quanto em conserva.
Símbolo da cultura do estado brasileiro de Goiás, o pequi, árvore da família das cariocáceas pode também ser encontrada em toda a região Centro-Oeste (considerada a capital da fruta) e nos estados de Rondônia (ao leste), Minas Gerais (norte e oeste), Pará (sudoeste), Tocantins, Maranhão (extremo sul), Piauí (extremo sul), Bahia (oeste) e Ceará (Sul). Em Goiás podem ser encontradas todas as espécies, cuja frutificação ocorre entre os meses de setembro e fevereiro."

vê mais em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Pequi

obrigado

abraços pantaneiros