segunda-feira, 2 de outubro de 2006

São quatro aldeias Guarani Mbya na cidade de São Paulo: Tekoa Ytu e Tekoa Pyau (chamadas Jaraguá), Tekoa Tenonde Porá (Morro da Saudade) e Tekoa Krukutu (estas duas situadas no bairro de Parelheiros, zona sul de SP). (Fonte da imagem e texto)

Mais sobre os Guarani Mbya
(Fonte: Associação Guarani Nhe`E Porã )
"Nós os Guarani Mbya estamos em várias regiões da América do Sul. Há aldeias na Argentina, Paraguai e Bolívia. Estamos na região do litoral do Brasil, nos estados que vão do Rio Grande do Sul até o Espírito Santo. Há também aldeias no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul. Somos no Brasil a maior etnia indígena, somando aproximadamente 35 mil Guarani.
Acreditamos que o planeta foi feito por Nhanderu, o nosso deus. Ele fez muita coisa bonita; a mata, as aves, os animais, as águas, a terra em que plantamos. Tudo o que criou foi para que usufruíssemos. Nhanderu também criou o Sol, e para nós, ele não é só uma simples estrela de luz própria, como é para os juruá. O Sol é um ser muito representativo para nós, porque foi ele quem criou o primeiro Guarani. É ele que ilumina a Terra e fornece a energia positiva que dá a vida para o planeta.
Somos um povo bastante religioso. No nosso dia a dia, o Guarani está sempre em busca, ou ligado a essa força espiritual de Nhanderu, do Sol. Todas as coisas que fazemos - nosso trabalho, as brincadeiras das crianças - são voltadas para essa busca.
Nosso calendário não é como o do juruá, ele é dividido em ara pyau, tempo novo e ara ymã, tempo velho. Essa divisão está ligada à trajetória que o Sol faz. O ara pyau para nós é o período de primavera e verão, quando o dia é mais longo e o sol faz uma caminhada maior. O ara ymã é no outono e inverno, no período de frio, nesta época em que o dia é mais curto.
Todos os dias nós nos encontramos na Opy, a Casa de Reza, para cantarmos e dançarmos, para rezar a Nhanderu e os mais velhos ensinarem as crianças o nosso conhecimento ancestral. Na aldeia nossa principal liderança é o xamõi, o nome do pajé Guarani. Aprendemos, no nosso cotidiano, a importância de todos os seres e que cada elemento da natureza tem um espírito. O Guarani acredita muito nesses seres porque são eles que dão a vida para nós. Nos manda a chuva, a água e tudo que precisamos para nos manter vivos. Desta forma, estamos muito ligados à natureza. Se este ambiente acabar o Guarani ficará sem estrutura, então lutamos para manter tudo isso que Nhanderu criou.
Com a vinda dos portugueses e a colonização, tivemos que nos fixar em territórios pequenos onde não podemos mais caçar e realizar outras atividades tradicionais. O Guarani vive porque mantêm essa força espiritual que faz com que ele fique em harmonia com a natureza e o faz se sentir forte.
Hoje, nós Guarani Mbya, buscamos parceiros para defendermos nossos espaços, que mesmo demarcados, sofrem algum tipo de pressão. Parceiros que possam nos ajudar em mantermos tudo que foi nos deixado de bom. O juruá está acabando com o planeta Terra e nós estamos preocupados com isso". (Marcos Tupã, cacique da aldeia Krukutu)

3 comentários:

Diana disse...

Bom dia.....

Obrigada D. Ursa....por trazer informações pra gente..
Bjs...

Anônimo disse...

Oi, Ursa! Que legal saber um pouco mais sobre a mitologia guarani. Entrei no link e constatei que eu mesma tenho no meu dia-a-dia um costume guarani: tomar chimarrão!
Beijo.

Angela Ursa disse...

Diana, esse site da Associação Guarani é ótimo! Beijos da Ursa :))

Então, Luciane, você tem um lado Guarani ;)) Beijos!