segunda-feira, 6 de novembro de 2006

Hoodia, um cactus que tira a fome e ajuda a emagrecer (Fonte da imagem)

O caso da planta Hoodia: A experiência do Povo SAN

(trechos de matéria publicada no site
COP-8/MOP-3, em 30/03/2006)

O Povo SAN ocupa um território na área do Deserto do kalahari, o qual abrange partes da África do Sul, Namíbia e Angola, compreendendo uma população de cerca de 120 mil pessoas. A planta Hoodia (Hoodia gordonii - Asclepieadaceae) é um cactus que cresce no Derserto do Kalahari, sendo utilizada, tradicionalmente, como alimento e para diminuir a sede durante as atividades de caça.
Em 1996, a patente sobre o principio ativo da planta, P57, ingrediente supressor de apetite, foi concedida ao Instituto Sul Africano de Pesquisa - CSIR. Em 1997, o Grupo de Trabalho de Minorias Indígenas no Sul da África – WIMSA, tomou conhecimento da patente através de um artigo de jornal, o qual declarava que o Povo SAN estava extinto.
No acordo foi estabelecido que os direitos de propriedade intelectual permanecem nas mãos do CSIR e que o Povo SAN não pode fazer acordo com terceiros. O problema é que, até hoje, não há produtos no mercado baseados na patente da planta Hoodia obtida pelo CSIR, mas inúmeros produtos baseados na planta Hoodia estão sendo comercializados. Na Suíça, por exemplo, pode-se encontrar pelo menos dez produtos farmacêuticos que contêm derivados da planta Hoodia. Estes produtos pirateados - alguns deles importados dos Estados Unidos – chegam a declarar no rótulo que se baseiam no conhecimento do Povo SAN. Ainda que alguns destes na verdade nem contenham a planta Hoodia, fazem uso da imagem do povo SAN para comercializá-los.
O caso da Hoodia demonstra, claramente, a grande discrepância entre teoria e prática na repartição de benefícios e as dificuldades que isso pode trazer para os povos indígenas e comunidades locais.
____________________
Os cientistas demoraram 30 anos para conseguir isolar a molécula, a P57, que dá à planta o poder de inibir o apetite. Ela age na região do hipotálamo — centro da fome e da saciedade — liberando um componente químico similar à glicose, só que 10 mil vezes mais potente e sem caloria. “O organismo recebe a mensagem de que tem glicose suficiente circulando no sangue, reduzindo o apetite especialmente por massas e comidas açucaradas”, diz o farmacêutico Carlos Muniz de Souza, da Sociedade Brasileira de Farmacognosia, Regional Sudeste. (Fonte das informações: site
Boa Forma)


Mais informações também no site Biotecnologia


12 comentários:

Taia disse...

Vi uma matéria sobre a Hoodia ontem. Fiquei impressionada.
Agora os nativos entraram na justiça pois sentem-se enganados pelos pesquisadores e chegaram a um acordo que o povo receberá uma parte dos lucros das vcendas dos produtos.
Venda que ainda vai demorar muito segundo a reportagem pois a planta nasce ao sabor da natureza, eles ainda não sabem como acelerar o crescimento e fazer um cultivo capaz de atender a demanda enorme do mercado.
E vc acha que os nativos vão receber o valor combinado?
infelizmente eu duviso...
beijão Angela.

Taia disse...

Ah, a reportagem disse ainda que os produtos que são vendidos hoje tem apenas traços de hoodia, sem nenhum benefício.
Eu hein...

Diana disse...

Bom dia.....

Mais uma vez passaram a perna....
Eita povo dito civilizado esse nosso.....
Bjs....

Matilda Penna disse...

Pois, concordo com a Taia, duvido também que recebam o justo.
Infelizmente, exploram tudo, até a imagem...
Beijos, :).

Sonia disse...

Descobri o seu blog hoje e gostei muito! Super interessante! Uma delícia ouvir o canto do Uirapuru! Vou passar o link para a minha filha que é Ecóloga e Geógrafa. Vou voltar mais vêzes. Um abraço, Sonia.

Angela Ursa disse...

Taia, eu também assisti parte da reportagem que passou, ontem, na TV Record. Por isso, me deu vontade de criar um tópico sobre a Hoodia. Mas só encontrei alguns artigos que não eram recentes. Também acho que os nativos não vão receber a parte que deveria caber a eles. Beijos!

Diana e Nanbiquara, vamos aguardar para ver o acontece. Beijos!

Jôka P. disse...

Esses cactus me lembraram uns perus espinhentos !

Jôka P. disse...

Vou marcar uma sessão extra com o meu terapeuta sexual.

Angela Ursa disse...

Jôka, morri de rir com a sua idéia dos cactos espinhentos e da sessão com o terapeuta sexual :)) Beijos da Ursa!

Pipoquitas com Art disse...

Olá, estou divulgando o meu espaço. Entre e aprecie, sua visita é muito importante para mim.
Uma beijoquita
Bia

Angela Ursa disse...

Bia, seja bem-vinda à floresta virtual. Abraços da Ursa! :))

Angela Ursa disse...

Sônia, obrigada pela visita! A floresta é para todos aqueles que amam e defendem a natureza. Ficarei feliz com a visita da sua filha. Beijos floridos! :))