segunda-feira, 9 de abril de 2007

cachimbo de madeira, índios Guarani - São Paulo - Para os índios Guarani o ato de fumar está profundamente ligado às praticas religiosas e espirituais. Eles produzem seus cachimbos, a que chamam petygwá, de maneira bastante artística e funcional.

O Fumo nas Lendas Indígenas
(trechos de artigo extraído do Boletim Iandé, número 21)

Há relatos do uso do tabaco entre os indígenas desde a chegada dos primeiros europeus ao continente americano. Os europeus registravam que os índios "bebiam fumo", pois o verbo "fumar" passou a ser utilizado só a partir do século XVII.
Alguns integrantes da expedição de Cristovão Colombo levaram o tabaco para a Europa e o gosto por seu uso se espalhou rapidamente.
O hábito de fumar folhas do tabaco (que são espécies diversas de plantas do gênero Nicotiana) já era bastante antigo entre alguns grupos indígenas, como atestam alguns cachimbos encontrados em escavações arqueológicas, porém predominava o uso religioso e ritual do fumo. A partir da Conquista, o uso do tabaco se espalhou rapidamente por todo o território americano. Grupos indígenas que não costumavam fumar passaram a fazê-lo. A finalidade do consumo do tabaco também se alterou, e os indígenas passaram a fumar mais no dia a dia para recreação e prazer, além do uso ritualístico.

A Criação do Mundo: uma História dos índios Tukano
Os índios Tukano vivem na região noroeste do Amazonas, nas áreas do rio Uaupés. A história a seguir foi contada por índios Tukano do clã Ye'pârã-Oyé põ'ra.
Quando o mundo ainda não estava pronto já havia Imîkoho-yeki, o Avô do Mundo. Ele andava sozinho pelos lugares pensando em como ordenar o mundo.
Sem encontrar solução, ele foi à Casa do Céu. Lá acendeu um cigarro e ficou pensando. Foi então que da fumaça do cigarro surgiu uma mulher. Ela era Ye'pâ-masó, aquela que seria conhecida como a Avó do Mundo e do Surgimento.
O Avô do Mundo ficou contente e entregou à mulher os instrumentos de vida e surgimento que possuia: cigarro, cuias, um banco entre outras coisas. A Avó do Mundo, Ye'pâ-masó, desceu até a terra, no igarapé Posâya. Lá surgiram três bancos com os desenhos do banco da vida. Ela sentou-se e começou a fumar seu cigarro.
Da primeira baforada surgiram Imîkoho-masí e Ye'pa-masí. Os dois foram os primeiros a viver na terra e deram início a todos os homens que vieram depois.

7 comentários:

Maria Clarinda disse...

Obrigada por mais esta lição, Angela!
Jinhos mil

luma disse...

Não sabia, por assim dizer dessa versão Adão e Eva indígena. Bonita história do surgimento de Imîkoho-masí e Ye'pa-masí.
Boa semana! Beijus

Matilda Penna disse...

Gostei da lenda.
E de a avó do mundo ter surgido da fumaça do cigarro.
E dos cachimbos, lindos!
Beijos, :).

Angela Ursa disse...

Maria Clarinda, o site Iandé tem muitas histórias indígenas interessantes. Vale a pena visitar. Beijos!

Luma, eu adoro as lendas indígenas. Beijos!

Nanbiquara, quantas lendas interessantes eles têm! É uma pena que sejam pouco divulgadas. Beijos!!

Jôka P. disse...

Os índios fumam ?!
E eu achando que eram mais purinhos que a gente....

greentea disse...

gosto destes saberes que tu nos trazes!!

um beijo

Angela Ursa disse...

Jôka, os índios também fumam sim. Mas esses cachimbos especiais são para rituais. Beijos da Ursa :))

Greentea, fico feliz de saber que você gosta dos temas. Beijos da Ursa! :))