segunda-feira, 11 de junho de 2007

Ajude a salvar o Xingu (campanha divulgada por Hanah )
Rio Xingu (Fonte da imagem)

Povos indígenas condenam construção de complexo hidrelétrico de Xingu

(trecho de matéria publicada no site ambientebrasil )

Cerca de 200 participantes do encontro dos povos indígenas do Xingu, encerrado esta semana, em Altamira (PA), condenaram a construção de duas barragens (Belo Monte I e II) no Rio Xingu. Para as 17 etnias representadas e 18 organizações da sociedade civil mobilizadas no evento, "qualquer intervenção no Xingu provoca a extinção da caça, do peixe e afeta profundamente nossas terras e nossa saúde (dos indígenas)".
De acordo com o documento, resultante do encontro dos povos indígenas do Xingu sobre a construção do Complexo Hidroelétrico do Xingu", a construção de barragens irá atingir "os povos indígenas, as comunidades de agricultores, a floresta e afetar a biodiversidade prejudicando a vida na Bacia do Rio Xingu".
O encontro em Altamira foi articulado pelo Cimi - Conselho Indigenista Missionário, ligado à Igreja Católica. Segundo o coordenador do Cimi no Pará e no Amapá, Claudemir Teodoro do Couto Monteiro, a discussão do projeto não está envolvendo os indígenas. "Toda vez que tem um projeto para a Região Amazônica, uma região bem complexa, com povos tradicionais e ribeirinhos, é necessário que todos sejam escutados", opina.
Claudemir Monteiro afirma que "os grandes interessados na construção de Belo Monte são a Vale do Rio Doce, que quer mais energia para aumentar sua produção, e a Alcoa que tem projeto de extração de bauxita para a produção de alumínio no município de Juruti".
Para o coordenador do Cimi, grandes empreendimentos não geram inclusão e o benefício é provisório e relativo ao momento da obra. "Você olha para a sede (do município) de Tucuruí e tem até pena", opina. "Não houve enriquecimento nenhum da cidade, apenas crescimento normal como qualquer outro município", rememora sobre a construção da segunda maior hidrelétrica nacional.

14 comentários:

greentea disse...

vem lanchar comigo....

Joshua disse...

Amiga, todos unidos poderemos tudo.

Bjs

Joshua

Angela Ursa disse...

Greentea, obrigada pelo convite para o lanche! Já fui lá :)) Beijos!

Joshua, como diz o ditado, a união faz a força. Infelizmente, as autoridades não pensam assim. Beijos!

Matilda Penna disse...

A construção do Complexo Hidroelétrico do Xingu vai mudar todo o local, os pequenos, como sempre, excluídos...
Triste isso...
Beijos, :).

Angela Ursa disse...

Nanbiquara, pois é, vai prejudicar muito. Mas nessas horas, em primeiro lugar vem o poder e o dinheiro. Um droga isso tudo! Beijos da Ursa

Vieira Calado disse...

Por todo o lado, há muito a defender dos grandes interesses.
Mas vocês aí, mais do que muitos, têm de defender-se dos vampiros.

Joshua disse...

Angela, vem ver o meu curto poema sobre o Cosmos e a Roça.

Bjs

Maria Clarinda disse...

O dinheiro sempre ele!!!Adorei ler o post, há realmente que lutar com as forças que temos e não temos.
Jinhos mil.

Janaina de Almeida disse...

Não é atoa que dizem que o Brasil infelizmente é um país muito cruel, injusto e desigual.
Um forte abarço pra você e tudo de bom.

Cadinho RoCo disse...

O Brasil inteiro está precisando é de de toda proteção para aguentar este irmão do Vavá que mostra-se incansável predador. Vale lembrar transposição da água do Rio São Francisco e outras poeripécias espalhadas por aí. Se o Vavá cansou das máquinas e transformou-se no próprio caça níqueis, o irmão parece querer a água de todos os nossos rios. Será ressaca?
Cadinho RoCo

Jôka P. disse...

Melhoras na gripe, Dona Ursa !
Bjs!

Nikita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Angela Ursa disse...

Vieira Calado, você escolheu o termo certo, vampiros sim! Beijo da Ursa

Joshua, estou indo lá ver o poema. Beijos!

Maria Clarinda, pois é. O dinheiro podia ser usado para tanta coisa boa e útil. Beijos!

Janaína, o Brasil está nas mãos de um bando de políticos e autoridades corruptas. A corrupção se alastrou de tal maneira que, agora, é difícil conter. Beijos da Ursa

Cadinho Roco, você tem toda razão. Beijos!

Jôka, obrigada! Estou me cuidando para ver se me livro dessa gripe forte. Beijos da Ursa!

###a.l.#### disse...

Occasum

Autor: Orácio Felipe

Johann é imortal. Mas a imortalidade carrega consigo muitas angústias. A maior delas, a falta de um amor que a acompanhe. Ele buscava, como criatura das trevas, uma companheira que pudesse transformar. Ele buscava um antídoto e havia conquistado alguma força compondo poesias, admiradas tanto pelos seus criados, Igor e Fredy, quanto por aqueles que o perseguiam. Seus buquês de palavras, como costumava chamar, eram entregues àquelas que admirava. Mas havia uma única rosa em seu caminho, para a qual ele passaria a dedicar sua existência, que não era efêmera. Um vampiro buscando extinguir sua chama assassina através do amor de uma mulher. Um soneto pode aliviar a dor no coração frio de uma criatura?

www.clubedosautores.com.br