quinta-feira, 28 de junho de 2007


Sobre o povo Yanomami
(Fonte das informações)
As aldeias são geralmente constituídas por uma grande casa coletiva em forma de cone "Yano ou Xapono" que pode chegar a 100 (cem) metros de diâmetro e 10 (dez) metros de altura, onde moram cerca de dez a quinze famílias. Eles vivem basicamente de caça, pesca, coleta de frutas silvestres e agricultura. Suas roças são unifamiliares, onde plantam mandioca, macaxeira, abacaxi, banana, cana de açúcar e outros. Da mandioca é feito o "Beijú"; a banana é consumida de forma natural, assada, cozida ou em forma de mingau; a cana de açúcar é consumida naturalmente ou extraído o caldo. Eles ainda produzem batata doce, cará, taióba, mamão, tabaco, pupunha, algodão, plantas medicinais e "mágicas". O arco é feito com madeira de pupunha ou bacaba e a corda é feita de curauá. As flechas são feitas de cana de flecha e penas de mutum amarradas com fio de algodão. As pontas podem ser feitas de vários materiais, dependendo do animal a ser abatido.
O Povo YANOMAMI é muito alegre, costuma fazer suas festas em época de boa colheita. Saem para caçar e pescar em grupos com rotas diferentes. Caçam macacos, mutuns, veados, anta e outros animais. Ao retornar eles "moqueiam" os animais, que é uma forma de preservar a carne. Em seguida chamam as aldeias vizinhas para participarem das comemorações. Neste período eles cantam, dançam e fazem um tipo de jornal falado "Wayamu". Estas festas podem durar de três a cinco dias.
O mundo espiritual do Povo YANOMAMI é muito rico. Eles acreditam que o universo é formado por três camadas de terras sobrepostas. Na de cima moram os mortos e os seres mitológicos como o Trovão e o Relâmpago. Abaixo desta camada vivem vários espíritos que a seguram para que não caía, pois ela é velha e rachada. Nela ainda vivem a Lua e o Sol. Na camada do meio, vivem os homens e um grande número de espíritos. Eles acreditam na existência de um alter ego e, matando-o, matam também a pessoa com quem ele é relacionado. A camada de baixo é igual a camada do meio, só que nela habitam seres carnívoros e terríveis.
Os primeiros homens YANOMAMI, foram Omã e Yoasi. Como não haviam mulheres, Omã copulou na perna atrás do joelho de Yoasi, e a perna ficou grávida, vindo a nascer um menino. A primeira mulher foi pescada por Omã no poço de uma cachoeira. O pai dela era uma enorme cobra sucurijú e foi ele que deu a Omã as primeiras plantas para cultivar.
Antigamente não haviam bichos. Os primeiros seres humanos se transformaram em bichos. Só o jacaré Iyo e sua mulher, a rã Raeraemé, possuíam o fogo e o guardavam escondido na boca e nas axilas . Os outros só comiam alimentos crus. O beija-flor e outros animais fizeram uma dança engraçada na frente do jacaré e o fizeram rir. Aproveitando o fato dele ter aberto a boca, pegaram rapidamente o fogo e o puseram em algumas árvores. É dessa madeira que eles, ainda hoje, produzem o fogo.
O "Xamã é o líder espiritual, durante os rituais de cura eles cheiram um pó alucinógeno "Yakoana", eles acreditam que este pó "abre" a floresta para os "Xapori", entidades que auxiliam os "Xamãs" nos rituais de cura.

7 comentários:

Luciane disse...

Oi, Angela! Acho muito interessantes essas histórias do começo do mundo na visão dos índios.
Mas Angela, me "exprica" como que o Omã pode copular na perna de uma pessoa. Que a barriga da perna ficou grávida, eu até entendo, que afinal é barriga. ;)
Beijo

Jôka P. disse...

Recebi seu e-mail.
Vou telefonar pra você no sábado, tá !
Mil beijos
Jôka e Gigi

Angela Ursa disse...

Luciane, barrigada da perna grávida é ótimo mesmo! Tudo é possível nos mitos ;)) Beijos!

Jôka, já respondi seu e-mail. Muito obrigada! Beijos e carinho da Ursa :))

Matilda Penna disse...

Adorei a lenda, adoro essas lendas indígenas, gostosas de ouvir.
Beijos, :).

Janaina Staciarini disse...

Eu acho os índios Yanomami lindos. A feição do rosto, os cabelos. Simplesmente lindos.

Angela Ursa disse...

Amigos, ontem me submeti a uma pequena cirurgia, mas correu tudo bem e já estou de volta à floresta :))

Nanbiquara, as lendas indígenas são muito bonitas e criativas. Beijos!!

Janaína, eles são bonitos sim! Beijos da Ursa :))

Lia Noronha disse...

Saudades de frequentar diariamente essa floresta..que é pura magia!!!
Amei as imagens Ângela...vc é maravilhosa!!!Bjus mil!!!