quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Jovem Puyr Tembé, em um ritual de dança e canto (Fonte da imagem)

Piora tensão entre brancos e índios - 20/02/2008
(Trechos de matéria publicada no site
: O Liberal )

Entidades temem conflito pela posse de terra na região do Alto Rio Guamá

Agentes da Fundação Nacional do Índio (Funai), do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), da Polícia Federal, além de orgãos estaduais de segurança pública, chegam hoje ao município de Garrafão do Norte, no nordeste paraense, região do Alto Rio Guamá, a fim de evitar um novo 'massacre de Eldorado dos Carajás', segundo o indigenista Chico Potiguara, funcionário da Funai e um dos que intervirão para evitar o confronto. Há três dias colonos mantém como reféns 25 índios da nação tembé, na aldeia Itahu, tentando impedir a construção de uma estrada até a localidade de Vila de Cupu e pressionando para redividir 279 mil hectares de terras com uma população indígena de 1.500 habitantes.
Chico Potiguara, que já chefiou a unidade da Funai na região, diz que a situação tem origem nas ambições políticas do ex-vereador de Garrafão do Norte, Manuel Evilásio. Potiguara afirma que, em busca de benefícios eleitorais, o 'agitador' está insuflando a população branca contra os índios, sob a alegação de que as terras indígenas serão redistruídas, já que os tembé, guajajara, capó e outras nações não teriam direito sobre a área. A idéia está sendo reforçada para que os colonos não saiam dos terrenos invadidos. O prazo para a desocupação terminou no dia 31 de dezembro do ano passado.
Desde então, a disputa está cada vez mais acirrada entre brancos e índios, com algumas contendas inclusive registradas pela imprensa, como a ameaça de morte dos tembé aos agricultores e madeireiros que continuassem resistindo à saída da reserva. Chico Potiguara conta que recentemente 42 homens da Polícia Militar paraense foram expulsos da área quando tentavam garantir a reintegração das terras indígenas aos seus legítimos donos. Segundo o funcionário da Funai, o poder de persuasão de Manuel Evilásio junto à população tem provocado constrangimentos legais como este, que desrespeita o aparato de segurança do Estado. 'Ele está agindo à margem da lei', comenta.

5 comentários:

Alberto Pereira Jr. disse...

é triste ver essa disputa, pessoas se machucando, matando por causa de terra, pela ganância....



úrsula, o filme Sweeney Tood com Johnny Depp é musical sim

Angela Ursa disse...

Alberto, é mesmo muito triste e revoltante tudo isso. Quando é que vai terminar esse desrespeito pelos direitos indígenas? Beijos da Ursa e obrigada pela informação sobre o filme

Pepe Luigi disse...

É extremamente confrangedor assistir-se a tão altercadas contendas, que pela ambição desmesurada semeiam a morte.

Fique bem e desejo-te um Bom Fim de Semana

Angela Ursa disse...

Pepe, é uma situação difícil e, como sempre, as soluções não chegam. Beijos floridos da Ursa

Janaina de Almeida disse...

Só tenho que concordar com todos os cometários, mais nada, nada, nada...