segunda-feira, 7 de abril de 2008

Cachos maduros do jerivá
Cachos verdes do jerivá

Jerivá ou Coqueiro-gerivá
(Fonte: Wikipédia) (Tópico em resposta a pedido de Vanessa, na caixinha de recados da Floresta)

Jerivá e coquinho são dois nomes vulgares do Syagrus romanzoffiana, uma palmeira nativa da Mata Atlântica no Brasil, mas que pode ser encontrada em diferentes tipos de florestas, como restinga, floresta ombrófila densa, floresta estacional semidecidual, mata ciliar, mata paludosa, floresta estacional decidual, cerrado.
Também é chamado de baba-de-boi, coco catarro, coqueiro, coqueiro-gerivá, gerivá, coquinho ou jeribá.
É da família Palmae, a fruta, amarela, que é ovalada, não passa de 3 centímetros na sua parte maior, tanto que são cerca de 100 unidades por quilo, chegando à produzir cerca de 140 kg. A parte externa, carnosa, é composta de uma mucilagem adocicada muito apreciada por algumas animais, como papagaios e maritacas, ou mesmo pelo humano principalmente a criançada, sendo uma lembrança comum aos interioranos, a quebra destes coquinhos batendo com pedras, para alcançar as suas amêndoas. Floresce e frutifica em diferentes meses do ano, dependendo da região em que se encontra. Internamente possui uma pequena castanha bem parecida com a do coco-da-baía. A semente germina em cerca de 100 a 150 dias, tendo um potencial de germinação de 50 a 79%. A folha tem a forma perenifólia e é usada como ração para o gado. A árvore fornece também o palmito para alimentação humana.A madeira foi (ainda é) muito usada nas construções rurais como por exemplo o madeiramento de telhados, é utilizado para paisagismo ornamental e também para fazer reflorestamentos em áreas degradadas, preservação permanente, plantios mistos. Tem um crescimento moderado, com uma altura média de 10 a 12 metros (chegando a ter mais de 15 metros), alguns exemplares até mais e de 30-60 centímetros de espessura. Possui grande resistência no transplante, mesmo quando adulta. Pode ser encontrado em vários estados do Brasil, como: Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo.
Classificação científica - Reino: Plantae; Família: Palmae; Género: Syagrus; Espécie: S. romanzoffiana. Nome binomial: Syagrus romanzoffiana. Dispersão: zoocórica. Sinônima botânica: Arecastrum romanzoffianum; Cocos romanzoffiana; Cocus plumosa.

7 comentários:

Janaina Staciarini disse...

Rá! Eu não conhecia Jerivá.
Adorei.
O único Jerivá que eu conhecia era a lanchonete que tem um pastel delicioso... o símbolo deles é a planta, mas não tem muito a ver com a planta original...
Beijão, Angela!

Eugênia Franco disse...

Angela,
Quanta novidade por aqui!
Eu catava desse coquinho quando criança, no Espírito Santo. Se não é o mesmo, é muito parecido e delicioso.
Beijos!

Angela Ursa disse...

Janaina, também adoro pastel! :)) Beijos da Ursa

Gená, eu nunca provei o coquinho jerivá. Mas depois que você falou que é delicioso, vou procurar. Beijos!

Fictícia disse...

Acho lindo os Jerivás !! É uma das plantas que mais gosto !! E os coquinhos ???? Quando eu era criança e ia pra escola, parava no caminho pra apanhar os coquinhos !! Tem foto das Missões lá no blog !!! Beijo

M. disse...

Como é lindo meu Brasil!
dias felizes amiga Angela
beijos

Angela Ursa disse...

ficticia, legal saber que o jerivá fez parte da sua infância :)) Beijos da Ursa

Márcia Clarinha, carinho da Ursa para você :))

Anônimo disse...

Olá
muito bonito todas as informações
Eu adoro o seu país! É um paraíso
Estou Paris (France)
mas eu relatou Geriva de Santa Catarina
Eles têm mantido no meu jardim!
Espero em breve voltar e saborear seus frutos
Eu ainda não provei-lo, mas não posso esperar para experimentar
ANGELA obrigado
crazypalmgarden@hotmail.fr