segunda-feira, 14 de abril de 2008


Histórias Tuxá - Livro preserva a linguagem oral de comunidade indígena,
Salvador, BA - 18/4 a 23/4
(Ana Porto · Salvador (BA) · 14/4/2008 - Fonte:
Overmundo)
“Quando pequenas, em noite de lua clara, nas calçadas debulhando feijão e milho e descaroçando algodão, ouvíamos nossos pais, avós e outros membros da comunidade contarem bonitas histórias que acabavam reunindo quase todas as crianças da aldeia.” Professoras Tuxá.
Símbolo da resistência para preservação de seu povo, cultura e tradições, a comunidade indígena Tuxá reúne suas memórias no livro Histórias Tuxá, dedicado às crianças da aldeia e a todos que tiverem a curiosidade de conhecer um pouco do universo Tuxá, através de uma leitura leve, divertida e permeada de valores.Habitantes do Brasil, mesmo antes da colonização, o povo Tuxá resistiu ao extermínio e à penetração pecuarista no Nordeste do País. Os Tuxá eram donos de mais de 30 ilhas no Rio São Francisco e viveram, nos últimos anos, na Ilha da Viúva, em Rodelas (BA). Mas, a construção da barragem da Hidroelétrica de Itaparica, em 1988, inundou a aldeia e os índios foram transferidos para três áreas distintas: na nova cidade de Rodelas, em Ibotirama e outra em Inajá.Na memória e na vida cotidiana dos Tuxá estão as lembranças da Ilha. Como explicam os mais velhos, lá os índios tinham suas roças, havia plantações de várzea, árvores frutíferas, hortaliças e criação de animais. Tudo que os Tuxá vivenciam hoje é, em grande parte, relacionado com as questões da inundação, principalmente, a luta atual pela sobrevivência e preservação dos costumes tradicionais entre os mais jovens. “Na profundeza das águas tem um mundo adormecido. Nosso território antigo, que jamais será esquecido. Velha aldeia onde nasci, na ilha onde me criei, também foi meu território, na memória guardarei”. Maria do Socorro, professora Tuxá.Preocupadas em não perder na memória a história da comunidade, e valorizar a tradição de seu povo, as professoras Tuxá, Aldenora Almeida e Maria do Socorro Araújo, ouviram, gravaram e transcreveram mais de 40 histórias narradas pelos mais velhos. Destas, 22 foram selecionadas para compor o livro Histórias Tuxá, coordenado pela professora Erimita Motta. “O povo Tuxá festeja esta publicação, a valorização de sua cultura e a oportunidade para suas crianças conhecerem um pouco do passado de sua etnia. Para índios e não índios é fonte de aprendizagem de nossas tradições”, afirma Erimita.“Este livro é o primeiro da seqüência de muitos outros que, com certeza, irão aparecer, pois o nosso maior desejo é ver nossa história escrita com os olhos do povo Tuxá e com a compreensão do povo Tuxá”. Professoras Tuxá.
_______________________________________
O lançamento do livro Histórias Tuxá será realizado em duas datas: nesta sexta-feira (18), no Centro Cultural, em Rodelas (BA), e no dia 23 de abril, em Salvador, na Biblioteca dos Barris. Em Salvador, o evento contará com a presença do Diretor Geral da Fundação Pedro Calmon, Ubiratan Castro, e da doutora em educação pela Ufba, Clélia Néri Cortes. Histórias Tuxá é uma publicação do Governo da Bahia, através do Fundo de Cultura.

6 comentários:

Jonas Prochownik disse...

Angela, sempre lindos os teus contos. Beijos do amigo Jonas.

Hanah disse...

obrigado Ursa...

estou aqui em Salvador, vou ver se dou um pulo lá...

beijos

Matilda Penna disse...

Um belo livro, uma ótima idéia essa, as histórias devem mesmo ser preservadas.
Beijos, :).

claudia disse...

É uma pena que existam livros que não chegam a Portugal fluentemente! Este parece ser um livro interessante!

Angela Ursa disse...

Jonas, obrigada! Beijos da Ursa :))

Hanah, se você for lá, depois conte como foi. Beijos!

Nanbiquara, lembrei de você também quando li que era em Salvador. Beijos da Ursa :))

Claudia, é verdade. Beijos da Ursa :))

Luciana S.R. disse...

Olá,
Obrigada pela sua visita! Muito interessante a dica do livro. Uma boa fonte de aprendizagem para todos!
bjs