sábado, 5 de abril de 2008

Levantamento mostra que dez capitais brasileiras devem estar em alerta com os surtos de dengue.
(Texto: Amanda Cieglinski - Fonte Agência Brasil. Publicado em 03/04/08 - Fonte: Saúde em Movimento )

Além do Rio de Janeiro, outras dez capitais devem estar em alerta para um possível surto de dengue segundo o Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (Liraa), do Ministério da Saúde. Em outras duas capitais, Porto Velho (RO) e Salvador (BA), a situação é mais grave e é classificada pelo relatório como risco de surto. O levantamento apurou a infestação do mosquito em 171 municípios que possuem maior risco de proliferação. O resultado foi divulgado em novembro de 2007 para que cada localidade aplicasse medidas preventivas.
As capitais em estado de alerta são Manaus (AM), Belém (PA), Palmas (TO), Maceió (AL), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), São Luiz (MA), Recife (PE), Aracaju (SE) e Vitória (ES).
Em Fortaleza, o secretário municipal de saúde, Odorico Monteiro de Andrade, já transferiu seu gabinete para o Centro de Controle de Endemias da cidade. "A secretaria está muito preocupada, nós consideramos a situação pré-epidêmica e estamos trabalhando para manter o controle e, na pior das hipóteses, se houver epidemia, que nós tenhamos um controle sobre ela", disse.Em 2008 foram registrados em Fortaleza cerca de 2.150 casos de dengue, com sete óbitos ainda em investigação. Andrade afirmou que o trabalho está sendo realizado em dois eixos: prevenção - com a ação de 1.150 agentes de endemia para eliminar criadouros do mosquito - e manejo clínico de casos de dengue."Estamos fazendo um esforço importante de treinamento e capacitação de funcionários da saúde para fazer um diagnóstico diferencial entre a virose dengue e a não-dengue. Com isso a gente pode tratar adequadamente [os doentes] e evitar óbitos". Segundo o secretário, o combate à doença acontece durante todo o ano e é intensificado no inverno.Em Manaus, até ontem, foram registrados 3.789 casos suspeitos - o número já ultrapassa os contabilizados no ano passado. Desses, 1.428 já foram confirmados, sendo 63 de dengue hemorrágica, com 5 mortes. Para a diretora de epidemiologia e ambiente do município, Leila Brasil, o quadro ainda não configura epidemia, mas a Fundação de Vigilância de Saúde de Manaus, em parceria com a secretaria estadual de saúde, já trabalha na Operação de Impacto de Combate à Dengue.Segundo Leila, nas últimas semanas, os registros diminuíram e a população está mais sensível à necessidade de eliminar os focos de reprodução do Aedes aegypti. "Já fizemos várias passeatas em distritos que tinham alta densidade de mosquito, entregando material com informações sobre a dengue e alertando a população", contou. O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse hoje (2) pela manhã que alguns estados merecerão atenção especial durante todo o ano de 2008 para evitar situações semelhantes à ocorrida no Rio de Janeiro esse ano. "Na Região Norte a nossa preocupação são com os estados do Pará, Rondônia e Amazonas. No Nordeste, a Bahia, o Rio Grande do Norte e Sergipe", enumerou. De acordo com Temporão, esses estados apresentam um número maior de casos em 2008, mas em termos quantitativos, a situação no Rio de Janeiro é muito mais grave. "No Rio você tem 50 mil casos e algumas centenas em outros estados", comparou.

7 comentários:

BANDEIRAS disse...

Oi Índia, bom dia.

Gosto de ver, vc trabalha forte aqui no blog.
Ando a procura de um pouco de sol, la pelo meu blog já começou o inverno.
bjs

Angela Ursa disse...

Oi, Bandeiras! Eu queria dias de sol com temperatura suave. Aqui andou fazendo muito calor, mas nos últimos dias está refrescando. Beijos da Ursa :))

Fictícia disse...

Oi, Ursa !!! E aí na Floresta, como está o combate a dengue ?? Um abraço !

Alberto Pereira Jr. disse...

triste saber que a saúde pública no Brasil está tão precária.. e ver que a dengue está devastando cidades...

Angela eu não acompanhei Queridos Amigos, vi um pouco e devo ter pegado as piores cenas.. só na última semana teve um relato que me emocionou... mas quero ler o livro da Maria Adelaide..

beijão

bueno disse...

a dengue é fogo! quando estive aí fiquei com medo de ser um dos escolhidos. obrigado pelas visitas e comentarios. os amigos do joka sao meus amigos
:)

Angela Ursa disse...

ficticia, aqui na Floresta da Ursa não tem dengue, porque as tribos tomam muito cuidado para evitar criadouros de mosquitos. Beijos!

Alberto, o combate aos criadouros de mosquitos é urgente! E para ajudar nisso, é preciso uma fiscalização constante e orientação maciça para a população das áreas de maior incidência. Beijos da Ursa

Claudio, agradeço o seu carinho. Seja sempre bem-vindo! :)) Beijos

Ana Maria disse...

Angela, por incrível que pareça, na minha casa não vejo mosquitos desde janeiro. Em dezembro, esteve aqui uma moça (não sei se da Feema ou da Prefeitura) e ela me recomendou colocar tela em todos os ralos do quintal (de água pluvial) e, milagre dos milagres, os mosquitos sumiram. Ele teve a maior paciência de me explicar onde comprà-la, como colocar e ainda me ensinou uma receita de água e fumo de rolo para borrifar nas plantas. Funcionária exemplar. Na Tijuca, o povo não pode reclamar da omissão das autoridades.