sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Indias Pataxó Hãhãhãe no lançamento do seu livro. Foi o primeiro livro feito pelos Pataxó Hã hã hãe Índios na Visão dos Índios. (Fonte da imagem: Índios On line)
Cacique Pataxó (Fonte da imagem: Overmundo)

Mulheres indígenas, força de nossa aldeia
(Texto de
Olinda Muniz Pataxó Hã-hã-hã, extraído do site Web Rádio Brasil Indígena)

"Com o passar do tempo a vida de nós mulheres indígenas vem mudando muito, pois antigamente nós tínhamos nossos afazeres limitados a cuidar dos filhos e da manutenção das roças e das casas. Atualmente nós mulheres entramos na política e temos voz ativa nas decisões da aldeia. Voz que antes era restrita aos homens. Hoje temos mulheres ocupando cargo de cacique que antes era cargo limitado aos homens, por terem que viajar muito e tomar decisões mais serias para a vida do nosso povo. Na minha aldeia Pataxó Hã Hã Hãe, nós mulheres temos um espaço muito grande na política indígena, já tivemos mulher candidata a vereadora e temos mulheres ocupando cargo de lideres até de cacica. Vemos isso como um grande avanço para nossa sociedade. Isso também é prova que os homens indígenas não são tão machistas quanto se pensa, pois para nós mulheres conseguirmos esse tipo de cargo precisamos do apoio dos homens também e eles reconhecem que temos capacidade de assumir os cargos que conquistamos.
Queremos continuar crescendo nosso espaço político na aldeia e fora dela, pois somos capazes e isso é importante para acabar com o preconceito de que mulher indígena só serve pra cuidar dos filhos e da casa. Todo dia é dia da mulher indígena, pois trabalhamos muito duro pelo nosso povo, porém é importante termos uma data para comemorar nosso dia e é por isso que temos o dia 30 de outubro como o nosso dia."

Olinda Muniz Pataxó Hã-hã-hã

13 comentários:

BANDEIRAS disse...

Olá Angela,
Obrigada por participar da nossa enquete.

Grande bj e bom fim de semana.

Angela Ursa disse...

Bandeiras, beijos floridos da Ursa e tenha também um ótimo final de semana! :))

janaina de almeida disse...

Que as mulheres avnacem cada vez mais as suas conquistas.Infelizmente as pessoas confundem, pois nós mulheres queremos igualdade de direitos e deveres e não igualar-se aos homens.Podemos ser mulher sem perder a feminilidade.
beijos floridos.

Lia Noronha &Silvio Spersivo disse...

Ursa: as mulheres são guerreiras em qualquer aldeia!!!
Bjus bem carinhosos diretamente do meu Cotidiano pr a sua floresta encantadora!

Gená F. disse...

Adorei saber da revista. E a carinha curiosa da velhinha indígena...
Beijos e boa semana!

Márcia(clarinha) disse...

Me encantou saber do livro feito por ela, uma guerreira de verdade...o máximo.

linda semana queridAngela
beijos

Angela Ursa disse...

Janaina, é verdade, o importante é a igualdade de direitos e o respeito mútuo. Beijos floridos! :))

Lia, um brinde de café para você! :)) Beijos da Ursa

Angela Ursa disse...

Gená e Márcia Clarinha, obrigada pelos elogios ao livro indígena! :)) Beijos da Ursa

Jôka P. disse...

Um beijo Angela !!!

Janaina Staciarini disse...

Que iniciativa bacana, Angela!
Adorei o texto. Riquíssimo.
Beijos.

Saramar disse...

Que maravilha!
Quanto mais vozes indígenas forem ouvidas/lidas, mais a consciência do respeito e da fraternidade irá se espalhar.

beijos
P.S. Ursa, estou melhorando, ainda com altos e baixos. Muito obrigada por sua gentileza.

BANDEIRAS disse...

Minha querida, vir aqui é beber sabedoria...

Bjs e obrigada pelo carinho.

Angela Ursa disse...

Jôka, beijos da Ursa para você também! :))

Janaina, que venham mais publicações indígenas! :)) Beijos!

Saramar, desejo que, logo, você fique bem. Beijos da Ursa!

Bandeiras, muito obrigada pelas suas palavras e o seu carinho. Beijos da Ursa :))