sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

(Fonte da imagem)

Da Poesia
(de Neide Archanjo)

Esculpo a página a lápis
e um cheiro de bosque
então me aparece.
Que a poesia é feita de aromas
daquilo que é eterno
e de tudo que apodrece.

7 comentários:

Hanah disse...

Belissimo post...

beijos

GRAÇA GRAÚNA disse...

Querida Angela: bateu uma saudade enorme dessa tua floresta encantada onde habiata a boa poesia da Neide Arcanjo. Bjos de luz e paz em Nhande Rú, Grauninha

Laércio Lutibergue disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laércio Lutibergue disse...

Angela:

Achei superlegal este teu blog-floresta.

Vou visitá-lo com frequência.

Parabéns!

Angela Ursa disse...

Hanah, muito obrigada! Beijos da Ursa :))

Graça Graúna, que bom ver você por aqui! Beijos floridos da Ursa :))

Laércio, seja sempre bem-vindo! Obrigada pela sua visita :)) Abraços florestais da Ursa

janaina de almeida disse...

A imagem é intrigante, como se fosse uma mulher saindo da concha.Sobre a poesia, curta mas é naturalista, eu penso.
Beijos floridos e tem presentinho para ti lá no blog, beijos.

Angela Ursa disse...

Janaina, obrigada pelo presente! Vou lá ver! :)) Beijos floridos