sexta-feira, 17 de abril de 2009

Pesquisa alerta população sobre alimentos contaminados
(Fonte:
Ministério da Saúde, Publicado em: 16/04/2009 - Texto extraído do site Saúde em Movimento)

A população recebeu, nesta quarta-feira (15), um alerta sobre a contaminação de agrotóxicos nos alimentos que estão sendo vendidos nos supermercados. A declaração foi dada pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão, durante o lançamento da sétima edição do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA). O estudo feito pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) revelou que, de 17 culturas analisadas, entre frutas, verduras e legumes, em 1.173 amostras coletadas, 15,29% estavam irregulares quanto aos resíduos de agrotóxicos.
"O governo, profissionais de saúde pública e entidades médicas chamam a atenção da sociedade para a necessidade de mudança do padrão alimentar. Comer menos gordura e aumentar a quantidade de frutas, legumes e verduras. É importante, no entanto, que esse conjunto de alimentos seja seguro para o consumo", afirmou Temporão.
O pimentão foi o alimento que apresentou o maior índice de irregularidades, com 64% das amostras contento resíduos de agrotóxicos. O fruto é seguido pelo morango, cenoura e uva que possuem índices de irregularidades superiores a 30%.
Os resultados insatisfatórios são divididos em duas categorias: resíduos que excederam os limites máximos estabelecidos em legislação ou agrotóxicos não autorizados para aquele determinado alimento.
Temporão explicou que o estudo não indica que todos os produtos estão contaminados, variando entre os estados e as amostras. "A pesquisa alerta para que a população saiba que produtos estão mais seguros e para que os produtores sigam as boas práticas de plantio e as recomendações das autoridades sanitárias", afirmou. Para ele, a sequencia do trabalho desenvolvido pela ANVISA tem trazido bons resultados, como a queda do índice de contaminação em alguns alimentos.
O percentual de irregularidades nas amostras de tomates baixou de 44,72% para 18,27%, entre 2007 e 2008. Já para a batata a queda foi de 22% para 2%, entre 2002 e 2008, e a banana de 6,53% para 1,03%, no mesmo período. A boa notícia também é para o arroz, feijão, manga, batata, banana, cebola e maçã, cujas irregularidades não ultrapassaram os 4,5%. A banana, que chegou a apresentar índice de 6,53%, em 2002, fechou 2008 com incidência de 1,03% de irregularidades.
Como medidas para reduzir o impacto na saúde do consumidor, o ministro recomendou que, antes do consumo, os alimentos sejam lavados e as folhas externas retiradas. Também enfatizou que os produtos de época contêm menos resíduos de agrotóxicos e aqueles certificados, como os orgânicos e indicação de origem, são alternativas mais seguras para a população.

Combate
Agenor Álvares, diretor da ANVISA, informou que a Polícia Federal e o Ministério da Agricultura serão informados sobre a descoberta de alimentos contaminados por agrotóxicos proibidos no país. Segundo ele, há uma ação conjunta entre os ministérios da Agricultura, Meio Ambiente e da Saúde para adequar os defensivos agrícolas às necessidades econômicas de produção, às questões ambientais e à segurança da população.
"O nosso objetivo é que a atividade econômica não seja predatória da saúde a população brasileira. Isso é algo que a ANVISA não abre mão. O nosso compromisso é com a saúde da população", afirmou Álvares.
Entre 2002 e 2006, foram proibidos 5 ingredientes ativos (benomil, heptacloro, monocrotofós, lindano e pentaclorofenol) e mais de 6 tiveram restrição de uso (IAs captana, folpete, carbendazim, clorpirifós, metamidofós, entre outros)
O trabalho de reavaliação de agrotóxicos utilizados no país, em 2008, foi marcado por longa batalha judicial contra liminares favoráveis às empresas, que impediam a avaliação de seus produtos. "Ao final ano, a Anvisa derrubou as liminares e manteve o direito de dar continuidade ao seu trabalho", disse o diretor. Acesse a pesquisa completa.

4 comentários:

janaina de almeida disse...

Ursa infelizmente soube disso e muito obrigada pela informação e principalmente por você existir.
Depois dessa notícia nem como mais pimentão, mas e o pimentão que já comi?
Beijos floriods.

luzdeluma disse...

Angela, os produtores rurais com medo das pragas acabam por exagerar nas doses usadas. Não penso que seja por mal, dado o alto custo do produto. Falta mesmo mais assistência de orgão para monitorar os vendedores (fornecedores) dos produtos, que pensam somente em vender (lucrar) e nesta, a dupla consumidor/produtor paga o pato. Bom feriado! Beijus

ana de toledo disse...

Amanhã será dia importante aqui na Floresta!
Virei comemorar o dia do índio aqui com você!!!
Beijinhos meus e da sua amiguinha Tomie

Angela Ursa disse...

Janaina, a alternativa é consumir os alimentos orgânicos. Beijos floridos!

Luma, deviam pesquisar mais sobre alternativas para os agrotóxicos. Existem predadores naturais para diversas pragas que atingem plantações. Acho que o caminho é por aí. Beijos!

Ana, já fiz um tópico em homenagem ao Dia do Índio. Beijos e carinho da Ursa para você e Tomie :))