quinta-feira, 28 de maio de 2009

Preserve a natureza !!
______________________________________________

Funcionário deixa porta aberta e material radioativo contamina 4 em Angra 2

http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u571968.shtml

Um funcionário que fazia a limpeza de um equipamento em uma sala de descontaminação da Usina Nuclear de Angra 2, em Angra dos Reis (RJ), esqueceu uma porta aberta e houve circulação de material radioativo, segundo a Eletronuclear (Eletrobrás Termonuclear S/A). Quatro pessoas que estavam próximas ao local foram contaminadas por urânio e passaram por descontaminação. O fato ocorreu às 16h15 do último dia 15.
Na ocasião, após o acionamento do alarme de radiação na ventilação da usina, foi deflagrado preventivamente um ENU (evento não usual) em Angra 2. A prefeitura afirmou que não houve danos ao ambiente.
Quatro trabalhadores foram contaminados em níveis abaixo de 0,1% dos limites estabelecidos em norma para os trabalhadores, de acordo com a Cnen (Comissão Nacional de Energia Nuclear). A equipe de proteção radiológica iniciou os trabalhos de descontaminação (lavagem do corpo, das mãos e do uniforme). Na sequência, os trabalhadores passaram pelos portais da área controlada da usina e nenhum alarme foi acionado. Com isso, a descontaminação ficou confirmada.
Após avaliação das condições radiológicas da usina e das consequências do vazamento, ficou constatado que não houve impacto para o ambiente, para os trabalhadores da usina e para a população, segundo a Eletronuclear.
De acordo com a Cnen, os trabalhadores que foram submetidos à radiação também foram encaminhados, para exames complementares, para o Centro das Radiações Ionizantes de Mambucaba. Os exames confirmaram não haver nenhuma contaminação.
A liberação ao ambiente foi de cerca de 0,2% dos limites estabelecidos pelo conselho, portanto, não significativa. O sistema de filtragem de ar que tem a função de bloquear a saída de radioatividade através da chaminé funcionou adequadamente, segundo a Cnen.
De acordo com o conselho, esse vazamento é classificado na escala internacional de eventos nucleares (INES) da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) como nível 1 (anomalia ou desvio operacional) numa escala que vai de zero até o nível 7.
Para a Sape (Sociedade Angrense de Proteção Ecológica) o acidente é grave. A organização afirma que a Defesa Civil do município foi avisada somente no dia 18, três dias após a ocorrência. A Eletronuclear afirma que a comunicação foi feita no mesmo dia do vazamento.

6 comentários:

BANDEIRAS disse...

Olá amiga,

Obrigada pela visita.

Sempre estou antenta ao que diz respeito a natureza e todos aqueles que procuram e lutam pela preservação.

Tenho muito respeito e admiração pelo teu trabalho.

Receba um abraço forte.

Angela Ursa disse...

Bandeiras, agradeço o seu carinho. E que Tupã proteja a natureza das ameaças e atos de destruição. Beijos da Ursa

Luma disse...

Angela, isso vive acontecendo lá! Só que dessa vez chegou na imprensa. Bom fim de semana! Beijus

Angela Ursa disse...

Luma, eu não sabia disso! Agora fiquei mais preocupada ainda com o uso das usinas nucleares :((
Beijos da Ursa

Janaina disse...

Caramba, me lembra a década de 80, a música do Legião Urbana e tudo isso ainda acontece.Beijos floridos,na medida do possível, um abraço.

Janaina disse...

Caramba, me lembra a década de 80, a música do Legião Urbana e tudo isso ainda acontece.Beijos floridos,na medida do possível, um abraço.