segunda-feira, 27 de julho de 2009

A lenda do Guaraná
(Fonte: blog da tribo Javaé: Fraternidade e Amazônia (*)

Entre os Índios Maués nasceu um menino muito bonito, de bom coração e de inteligência fabulosa. Como era muito esperto e alegre todos na tribo o admiravam.
Jurupari, o espírito do mal, ficou com inveja da criança e passou a espreitar para acabar com sua vida. A tarefa não era das mais fáceis, já que os outros índios sempre estavam à sua volta, principalmente os mais velhos que se sentiam na obrigação de protegê-lo. Mas Jurupari não sossegaria até fazer o mal ao pequeno.
Num dia, o menino brincando acabou se afastando dos outros índios. Encontrou uma árvore e tentou colher uma fruta. Jurupari se aproveitou e, na forma de uma cobra, deu o bote sobre a criança, matando-o.
A noite chegou e deram por falta da criança. Começou a procura por toda a tribo. Até que o encontraram morto aos pés da árvore. A notícia logo se espalhou com a tristeza geral na tribo.
Todos lastimavam a inusitada morte da criança mais amada de toda a tribo dos Maués. Chorou-se por várias luas ao lado do corpo inerte.
Num dado momento durante o funeral, um raio caiu justamente ao lado do garoto morto. "Tupã também chora conosco", disse a mãe da criança, "vamos plantar os olhos de meu filho para que deles possa nascer uma planta que nos trará tanta felicidade quanto o menino em vida nos trouxe". E assim fizeram!
Foi assim que dos olhos do pequeno índio nasceu o guaraná, fruta viva e forte como a felicidade que o pequeno indiozinho dava aos seus irmãos."
____________________________________
(*) Sobre os Javaé
Os Javaé são um dos três subgrupos em que se dividem os índios Karajá. Os outros dois são os Karajá propriamente ditos e os Xambioá. A palavra Javaé, provavelmente de origem tupi-guarani, não pertence à língua que eles falam. Inÿ, a autodenominação geral dos três subgrupos, quer dizer "gente", "ser humano", mas os Javaé e os Karajá
também autodenominam-se Itya Mahãdu, "o Povo do Meio".

7 comentários:

Liliana Lucki disse...

Es una obra realmente hermosa.

Saluda desde Argentina Liliana.

tertulías disse...

Incrível, linda... como voce consegue estas coisas tao incríveis? Poxa Ursa, OBRIGADO!!!!!! Realmente, logo eu, filho de uma amazonense, ADOREI!!!!!

Márcia(clarinha) disse...

Que maravilha!!
Adorei a gravura, uma viagem.

lindo dia amigAngela
beijos carinhosos

Janaina disse...

Lembro dessa lenda do guaraná na minha infância.Graças a essa fruta temos o maravilhoso Guaraná Antarctica(o mehlor refrigerante que conheço).Beijos floridos, voltei!

Angela Ursa disse...

Liliana, seja sempre bem-vinda à floresta da Ursa :)) Beijos floridos!

Ricardo, adorei saber que você é filho de mãe amazonense! As informações que coloco na floresta são extraídas de sites com temática indígena, e-mails ou através mesmo de busca do Google :)) Beijos e carinho da Ursa!

Márcia Clarinha, essa gravura tem um brilho, uma luz especial. Ela ilustrava o tópico original. Beijo floridos! :))

Janaina, eu também gosto muito de guaraná. Na infância, num carnaval, me fantasiei de pinguim e tirei uma foto do lado da carrocinha de guaraná. Pena que não sei onde está a foto :)) Beijos floridos!

Maira Parula disse...

oi, menina. és parente do cacique Urso Sentado? google Sitting Bear e veja lá seu tetravô, da tribo Kiowa. bjs

Jôka P. disse...

Gosto de Guaraná ANTÁRTICA.
Só bebo o ANTÁRTICA, detesto as outras marcas !

Então tá, foi só uma pausa pros nossos comerciais...