segunda-feira, 29 de agosto de 2005


CUPIDO INDÍGENA (Fonte)
Rudá é o Cupido dos Indígenas. É a ele que as virgens e os guerreiros se dirigiam, pedindo-lhe proteção nas suas pretensões amorosas.
Como todo civilizado, para os antigos índios o amor surgia do nada: um olhar furtivo ou olho no olho, compartilhando uma dança, um encontro fortuito e até mesmo aquele esbarrão do acaso, tão conveniente por sinal. Os homens e mulheres, neste instante, deixam de ser estranhos, pois desperta dentro de deles, um dom particular: o amor.
As cunhãs, nas horas de saudade do seu amante, como suas ancestrais índias, erguiam a voz à Rudá, à hora dos poentes indescritíveis ou quando a Lua esboçava o seu sorriso de luz e de sonho, de braço estendido na direção em que deve andar o seu bem amado, e imploram:
"Rudá, Rudá,
Iuaká pinaié
Amãna reçaiçu
Iuaká pinaié
Aiuté Cunhã
Puxiuéra oikó
Ne mumamára ce recé
Quahá caarúca pupé"

Traduzindo:
" Óh Rudá, tu que estás nos céus e que amas as chuvas...Tu que estás no céus...faz com que ele, por mais mulheres que tenha, as ache todas feias; faz com que ele se lembre de mim esta tarde quando o Sol se ausentar no ocidente".

3 comentários:

nanbiquara disse...

Essa eu não conhecia, conhecia essas abaixo, preces de amor a Lua, em tupinanbá:

Cairé-Lua Cheia, instrumento destinado a despertar as saudades no amante ausente:
Cairé, cairé nú
Manuára danú çanú
Eré ci erú
Piape amu
Omanuara ce recé
Quanhá pitúna pupé.

{Eia, ó Minha Mãe(a Lua)fazei chegar esta noite ao coração(do amante)a lembrança de mim.}

Catiti-Lua Nova:
Catiti, catiti
Imara notiá
Notiá imára
Espejú(fulano)
Emú manuára
Ce recé(fulana)
Cuçukui xa ikó
Ixé anhú i piá póra.

(Lua Nova, ó Lua Nova! Assoprai em fulano lembranças de mim; eis-me aqui, estou em vossa presença; fazei com que eu tão somente ocupe seu coração.)

Diana disse...

Nossa....
D. Ursa.....palavras não existem mais pra definir a passagem por aqui.....
Harmonia.....tudo é harmonico aqui...
Amei a historia do Rudá......
Ai...ai...Rudá...Rudá.....
Bjs....

Angela Ursa disse...

nanbiquara, a Ursa já anotou no caderninho dela as preces lindas que você ensinou. Você conhece um bocado da cultura indígena! Muito obrigada! Beijos da Ursa