terça-feira, 18 de outubro de 2005

Seminário O Brincar dos Povos Indígenas - Santo André, SP (Fonte)
Para difundir o universo lúdico do índio brasileiro, o Departamento de Lazer leva a diversos espaços públicos da cidade, todos os finais de semana deste mês, uma programação diversificada com jogos, brincadeiras e brinquedos praticados por vários povos indígenas.Muitos destes brinquedos já estão incorporados no nosso dia - a - dia, como por exemplo o pião e a peteca.Além da programação infantil, o projeto inclui um seminário, nos dias 26 e 27 de outubro, que pretende refletir e discutir sobre a cultura indígena tendo sempre como foco a questão do lúdico. O evento será realizado no Parque Escola ( r. Anacleto Popote, 46, Valparaíso) e destina-se a educadores formais e informais, profissionais das áreas do Lazer, Esporte, Artes Plásticas, Artes Cênicas, interessados em geral.
Confira a programação:
Dia 26 das 8h30 às 18h Exposição de fotos "Ywalapiti - O Povo do Brasil "; das 8h30 às 9h - Credenciamento e um musical com Denise Coelho e Jefferson Sooma; Das 9h às 11h - Conferência "A influência indígena na construção da cultura brasileira" com Marcos Terena - Presidente do Conselho Intertribal do Brasil;
Oficinas / Workshops
Das 14h às 18h 1. O Corpo indígena: Máscaras e Indumentárias(máscaras e pintura corporal). A oficina proporcionará a criação de indumentárias, máscaras, pinturas corporais baseados em algumas comunidades indígenas, utilizando o papel como principal suporte. Coord.: Maria do Carmo Lima - aderecista, figurinista e cenógrafa, participa de projetos da OCA - Associação da Aldeia de Carapicuiba, Escola Ciranda, Centro de Estudos Casa Redonda.
2. Brinquedos e brincadeiras das crianças do Brasil.A oficina explorará brincadeiras indígenas e confecção de brinquedos, resultado de uma pesquisa realizada desde 1995 em diferentes regiões do Brasil. Coord.: Renata Meirelles - Mestranda da Faculdade de Educação da USP, com projeto sobre o lúdico infantil na Amazônia, idealizadora do Projeto BIRA - Brincadeiras Infantis da Região Amazônica. 3. Contado histórias de índioA oficina proporcionará um contato com a cultura indígena a partir da contação de histórias. Coord.: Daniel Munduruku - escritor, contador de histórias.4. Jogo - história. Vivência com histórias indígenas, através de uma perspectiva lúdica da mesma, da recriação da história por meio da criação de um jogo de tabuleiro. Coord.: Adriana Klisys (escritora, pesquisadora de jogos) e Edi Fonseca (contadora de histórias).
das 15h às 18h 5. A cultura indígena: Reflexões e alternativas para brincar e jogar Vivências lúdicas da cultura indígena compreendendo cantigas infantis, brinquedos, jogos, danças. Coord.: Fabiano Augusto João - Mestre em Educação, Arte e História da Cultura, Professor da Graduação em Educação Física e Turismo da FEFISA - Faculdades Integradas.
Dia 27 - Das 8h30 às 18hExposição de fotos "Ywalapiti - O Povo do Brasil "Das 8h30 às 9h - Credenciamento e Apresentação musical (Chorinho)Oficinas / Workshops / VivênciasDas 9h às 11h
1. Percussão corporal. Coord.: Barbatuques
2. Kit de Objetos Infantis Indígenas Concebido e desenvolvido pela equipe de educadores do MAE/USP, com o objetivo de formar multiplicadores dos conceitos abordados pelo material. Coord.: Carla Gibertoni - Educadora , Diretora do Serviço Técnico de Musealização - Museu de Arqueologia e Etnologia da USP.
Das 9h às 12h30
3. Vivência corporal e lúdica baseada em danças brasileiras. Com dinâmicas embaladas por instrumentos que figuram no universo lúdico da cultura popular serão experimentados ritmos como caboclinho, maracatu, frevo e coco de roda. Coord.: Adriana Alencar e Luciano Amorim. Pesquisadores da Cultura Popular Brasileira, arte- educadores, participam de projetos no Instituto Brincante.
4. Brincando com as muitas faces da Voz. O workshop visa estimular a percepção e consciência vocal própria e intuitiva dos participantes. Coord.: Carlos Navas - cantor paulistano, revelação vocal expressiva da MPB.
5. O Corpo indígena: Indumentárias (colares, cocar). A oficina proporcionará a criação de indumentárias, baseadas em algumas comunidades indígenas, utilizando o papel como principal suporte. Coord.: Maria do Carmo Lima - aderecista, figurinista e cenógrafa, participa de projetos da OCA - Associação da Aldeia de Carapicuiba, Escola Ciranda, Centro de Estudos Casa Redonda.
À partir das 14h - Mesa de Debate "A ludicidade indígena na cultura brasileira", com Eliana Potiguara - Escritora, uma das 52 brasileiras indicadas ao Prêmio Nobel 2006 e Daniel Munduruku -Escritor , contador de história da etnia Munduruku
Das 15h 30 às 16h - Apresentação musical com Fernando Sardo e Bira Azevedo; Às 16h - Aula - espetáculo - "A contribuição da cultura indígena nos sons do Brasil" com Marlui Miranda.

2 comentários:

nanbiquara disse...

Peteca e pião são o máximo.
Brinquei muito com eles em menina.
Beijos, :).

Angela Ursa disse...

nanbiquara, eu sempre fui desajeitada para jogar peteca. Não acertava uma! :)) Beijos!