domingo, 13 de novembro de 2005

Índios guaranis

"Cortaram nossos frutos, arrancaram nossos ramos, queimaram nosso tronco, mas não puderam matar as nossas raízes!"
(Hino da Campanha Continental Indígena, Negra e Popular - 1992)

Marçal Tupã'i, uma importante liderança dos povos indígenas que foi assassinado por defender seus direitos, nos mostra qual o significado da terra e a interdependência existente entre a terra e a vida, a sobrevivência dos povos que nela habitam: "A terra para o índio é pai, mãe. Assim como a mãe tira do seu próprio corpo o alimento que dá vida ao filho, assim do seio da terra tiramos a nossa sobrevivência".
A terra é fonte e mãe da vida para os povos indígenas. O espaço vital, a garantia de sua existência, da sua reprodução como povos, como coletividades específicas e diferenciadas. A defesa da terra e da biodiversidade (variedade de organismos - genes, espécies, ecossistemas - existentes no mundo natural, ou seja, diversidade biológica) equivale à defesa da própria existência, física e cultural, material e espiritual. O que acontece à terra acontece aos filhos da terra. (Fonte: Somos todos parentes - povos indígenas no Brasil)

2 comentários:

Margaret Dal-Ri disse...

Não podemos deixar de valorizar quem aqui já estava.Os brancos se adonararam de uma terra que não lhes pertencia.Espero que seja assegurado o espaço de reprodução dos nossos "parentes".

Angela Ursa disse...

Margaret, a dura realidade é que os brancos não sabem cuidar da terra como os índios e ainda querem destruir a cultura de nossos irmãos. Beijos!