quarta-feira, 14 de dezembro de 2005

Xavantes
Amazônia (Fotos por Rui Faquini )

Corredores de Biodiversidade
(informações extraídas do site
Conservação Internacional do Brasil )

Áreas Protegidas da Amazônia
A Amazônia possui
seis Corredores de Biodiversidade .

O Corredor de Biodiversidade é formado por uma rede de parques, reservas e áreas privadas de uso menos intensivo, na qual um planejamento integrado das ações de conservação pode garantir a sobrevivência do maior número de espécies e o equilíbrio dos ecossistemas. O corredor pode se estender por centenas de quilômetros e atravessar fronteiras nacionais para incluir áreas protegidas, hábitats naturais remanescentes e suas comunidades ecológicas. A implantação de corredores de biodiversidade é a principal estratégia empregada pela CI-Brasil para direcionar as ações de conservação nos Hotspots e nas Grandes Regiões Naturais. Para cada um deles, as estratégias são específicas. Nos Hotspots, o desmatamento provocou uma intensa fragmentação dos hábitats, isto é, as florestas tornaram-se ilhas de vegetação, cercadas por cidades ou áreas agrícolas. A implementação de corredores de biodiversidade contribui para que essas ilhas sejam novamente conectadas, com a proteção da vegetação ainda remanescente e a recuperação de áreas degradadas. Nas Grandes Regiões Naturais, onde ainda existem blocos extensos de floresta intocada, os corredores de biodiversidade contribuem para a proteção efetiva de áreas de grande importância para a biodiversidade e para o desenvolvimento planejado de toda a região. A implementação de um corredor de biodiversidade requer planejamento regional. O primeiro passo para implementar um corredor se resume em identificar as áreas prioritárias para conservação. Com esse objetivo, são realizados workshops regionais, eventos que reúnem vários especialistas nas regiões a serem conservadas. O segundo passo é envolver no projeto de conservação diversos setores da sociedade e do governo, como proprietários rurais, agências governamentais, universidades, empresas privadas e comunidades tradicionais. O Corredor Central da Mata Atlântica foi o primeiro a ser incorporado na estratégia da CI-Brasil, em 1998. Em seguida, a mesma estratégia foi adotada no Corredor de Biodiversidade do Cerrado-Pantanal, no Corredor de Biodiversidade dos Ecótonos, na Amazônia, e mais recentemente no Corredor do Amapá e Corredor do Araguaia.

5 comentários:

Margaret Dal-Ri disse...

Lindas as fotos Ursa.
Seja qual for o nome dado tal como este de "Corredores de Biodiversidade" o importante é que algo seja feito para recuperação e conservação destas regiões.

Matilda Penna disse...

Fotos lindas.
beijos, :).

Angela Ursa disse...

Margaret, concordo com você, se é para proteger a natureza, está ótimo! Beijos!

nanbiquara, esse fotógrafo tem fotos lindíssimas. Se quiser ver outras, clique no link que está no tópico. Beijos!

Saramar disse...

Hummm...parece-me que aqui por Goiás estavam criando algo assim, não sei nesta magnitude ou se paenas aqueles canais de trânsito para os animais. Vou investigar.

Beijo
P.S. As fotos são sensacionais!

Angela Ursa disse...

Saramar, se você conseguir informações sobre os corredores de biodiversidade de Goiás, envia para mim, ok? Beijos!