terça-feira, 28 de fevereiro de 2006

Luva onde são colocadas formigas, dos índios Sateré-Mawé

Colar-Apito "awá tukaniwar" - índios Urubu-Kaapor

Ritual de Nominação: Batismo dos índios Urubu-Kaapor (Fonte: boletim Iandé - Arte com História)
Os índios Urubu-Kaapor vivem no Maranhão, entre os rios Gurupi e Turiaçu, próximos à fronteira com o estado do Pará. Sua população aproximada é de 800 pessoas.
Quando nasce uma criança Kaapor, seus pais devem cumprir um rigoroso resguardo e dieta. É um período longo que dura vários meses. Os índios acreditam que a saúde do bebê pode ser comprometida, se os pais quebram essas regras.
Quando o bebê completa aproximadamente um ano, é preparada uma festa de nominação. Esse é o ritual mais importante dos índios Urubu-Kaapor. É uma cerimônia coletiva, onde podem ser batizadas diversas crianças juntas. Até essa data, os bebês não são chamados por nome algum.
Para a festa, é preparada uma grande quantidade de uma bebida alcoólica feita a partir do caju. Todos os adultos e crianças mais velhas começam a beber no início da noite e continuam até a aurora. Ao amanhecer, enquanto os homens fumam longos cigarros, as mães das crianças sentam-se em esteiras, carregando seus bebês em tipóias emplumadas e tecidas com algodão.
A arte plumária dos Urubu-Kaapor é a mais bela e sofisticada entre os índios brasileiros. Todos se adornam com suas melhores peças, pois acreditam que elas ajudam a iluminar as nuvens escuras, talvez uma analogia ao destino das crianças.
Os padrinhos das crianças usam um colar-apito, feito com um osso de gavião. O padrinho toma o bebê do colo da mãe, e o levanta para o alto. O padrinho grita o nome que escolheu para a criança e em seguida todos os índios repetem esse nome em coro. O padrinho dança para frente e para trás, com a criança em seus braços e assopra o colar-apito no ouvido do bebê, que começa a chorar.
O nome da criança é repetido por todos até que ela pare de chorar e adormeça. Nessa ocasião, ela recebe um pequeno cocar, e o padrinho devolve o bebê para sua mãe. Foi anunciado ao mundo, que um novo Kaapor nasceu.

Ritos de Puberdade: Passagem para a Vida Adulta
Os índios Sateré-Mawé - que habitam a região entre os rios Madeira e Tapajós, na floresta amazônica - preparam uma luva cheia de grandes formigas chamadas tocandiras. Os jovens Sateré-Mawé vestem essas luvas e são picados pelas formigas, mas não podem demonstrar dor, ou serão considerados homens fracos.

11 comentários:

Matilda Penna disse...

Dois rituais bem diferentes, mas cada povo com seus usos, não?
O que será que há na mordida da tocandira que a faz tão importante para a vida adulta?
Beijos, :).

Alessandro_PPG disse...

Obrigado pela visita e pelo comentário! Espero continuar tendo suas visitas! Estarei sempre me comunicando contigo ! Beijos!

Lia Noronha disse...

Ursas : cada adereço bonito...pura expressão da natureza...que belo !
Boa noite de final de festa pra vc...
Beijos urbanos.

Márcia(clarinha) disse...

Que belos exemplares da cultura indígena,lindos!
Angela querida,hoje a tarde estaremos com o pensamento positivo na nossa verde e rosa,acredito na vitória!!
lindo dia
beijossssssssssssssss

Angela Ursa disse...

nanbiquara, pelo que li, a tocandira é uma formiga gigante, cuja ferroada é muito dolorosa. Por isso, esse ritual representa uma prova de força, de amadurecimento. Beijos!

Alessandro, vou fazer sempre visitas ao seu blog. Abraços florestais! :))

Lia, beijos carinhosos para você!

Márcia Clarinha, vamos torcer sim pela vitória da nossa Mangueira! :)) Beijos verde-e-rosa da Ursa

Lia Noronha disse...

Ursa : uma quarta-feira de cinzas bem tranquila pra vc.
Beijos mil.

Matilda Penna disse...

Parabéns a Mangueira, não foi campeã mas estava linda, bom, eu gostei, :).
E eu nem me deslumbrei com a Vila, já vi que não entendo nada de carnaval carioca...

Janaina Staciarini disse...

Nossa, o que são os costumes e tradições né... Seu carnaval foi legal, linda? Beijão!

Angela Ursa disse...

Lia, para você também! Beijos!

Nanbiquara, eu achei a Vila Isabel muito bonita. Mas minha Mangueira podia ter ganho, pelo menos, 2o lugar ;)) Beijos!

Janaína, meu carnaval foi tranquilo, acompanhando desfiles pela TV e fazendo programas bem leves. Beijos da Ursa!

Palpiteira disse...

Oi, Ursa, obrigada pelo link. Gostei muito.
Beijo.

Angela Ursa disse...

Palpiteira, eu coleciono wallpapers lindíssimos tirados do site do Webshots. Basta você pegar o programinha deles no site, que permite abrir as imagens no micro. Beijos!