quarta-feira, 3 de maio de 2006

Tatú-mulita (Dasypus hibridus). Cânion Fortaleza. Parque Nacional da Serra Geral. Este animal habita em tocas e possui hábitos noturnos, podendo ser encontrado em dias mais frescos e nublados andando pelos campos. Alimenta-se de raízes e pequenos invertebrados. Foto por João Paulo Lucena.

Lista de espécies em extinção inclui 721 do Brasil
(Fonte: Estadão Online - trechos de matéria publicada no site ambientebrasil )

A Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas, divulgada pela União Conservacionista Mundial (IUCN, na sigla em inglês) nesta terça-feira (2), inclui 721 animais e plantas que vivem no Brasil. O número significa um acréscimo de 24 espécies em relação ao último levantamento, divulgado em 2004. Apenas no Brasil, os cientistas ligados ao IUCN avaliaram mais 186 espécies nos últimos dois anos. Entre os animais do Brasil que passaram a fazer parte da lista dos que estão em perigo está o tatu-mulita (Dasypus hybridus), encontrado no sul do país e na categoria Quase Ameaçado. No total, a nova lista relaciona 16.119 animais e plantas do mundo inteiro, com um aumento de 530 espécies em relação a 2004. A Lista Vermelha do IUCN mostra uma tendência clara: a perda da biodiversidade está aumentando, não desacelerando", afirmou o diretor-geral da organização ambientalista, Achim Steiner."As implicações dessa tendência para a produtividade e resistência dos ecossistemas e as vidas e sustento de bilhões de pessoas que dependem deles vão longe."
De acordo com a nova lista, podem simplesmente deixar de existir um em cada quatro mamíferos, um terço dos anfíbios, um oitavo da população dos pássaros e um quarto das árvores coníferas se o processo de degradação do planeta, atribuído principalmente à ação humana, não for revertido. Entre outras espécies que entraram na lista de ameaçadas, estão o urso polar e o hipopótamo e a gazela do deserto. A nova relação também inclui diversas espécies aquáticas, como tubarões e peixes de água fresca na Europa e na África. No Brasil, 16 espécies de peixes foram adicionadas, elevando para 58 o número de peixes na Lista Vermelha. Os principais fatores que explicam o desaparecimento de plantas e animais são a perda de hábitat - problema que afeta 86% dos mamíferos, 86% dos pássaros e 88% dos anfíbios ameaçados. No caso do urso polar, a maior ameaça é o derretimento da camada de gelo do Ártico, atribuído às mudanças climáticas causadas pelo aumento nas emissões de CO2. Como resultado, estima-se que 30% dos ursos polares desapareçam nos próximos 45 anos. Segundo a entidade, 784 espécies já foram declaradas extintas e outras 65 só podem ser encontradas em cativeiro. O Brasil, um dos países com maior biodiversidade do planeta, já perdeu pelo menos 29 espécies. (Estadão Online)

5 comentários:

greentea disse...

eu tenho de vir ver este blog.

para começar o visual é igual ao meu;
e os temas !
vou voltar mais logo, q agora não posso

um dia bom para ti!!!

Márcia(clarinha) disse...

Adoro ver esse bichinho, acho-o espertinho e bonito debaixo dessa carcaça,rsss
Você tem razão minha querida, aquela imagem seria par perfeito com Drummond,rss
Lindo dia,
beijossssssssssss

Angela Ursa disse...

Greentea, obrigada pela sua visita! Já deixei mensagem para você no seu blog. A semelhança está no template que usamos e nos temas. É bom encontrar blogs irmãos! ;)) Abraços da Ursa!

Márcia Clarinha, seria, sim, um par perfeito! :)) Beijos e flores da Ursa!

Daia disse...

Oi, amiga.
Colocando a leitura em dia. Pelo desenrolar dos fatos, pouco faltará para que somente o homo sapiens habite o planeta. E para descobrir que boa parte da humanidade de sapiens não tem nada!
Beijos.

Matilda Penna disse...

Cada vez que leio sobre espécies em extinção me dá um aperto na alma...
Isso de sumir da face da Terra, nunca mais ninguém ver é muito triste...
Beijos, :).