sábado, 7 de outubro de 2006

Crianças apurinã (Fonte da imagem)

Índios denunciam violência policial - 06/10/2006
(Fonte: jornal A Tribuna - notícia publicada no site Amazônia.org.br)

A trágica morte do Sebastião da Silva Oliveira, de 27 anos, do povo apurinã, pode estar relacionada à violência policial, denunciou ontem o Conselho Indigenista Missionário (Cimi). O corpo da vítima, que vivia na terra indígena camicuã, em Boca do Acre (AM), foi encontrado em 8 de setembro.Segundo testemunhas, na tarde de domingo (3 de setembro), Sebastião e outros três indígenas atravessaram o Purus para assistir a um comício em Boca do Acre. Por volta das 20 horas, quando caminhavam pelo bairro da Praia do Gado, eles foram surpreendidos por seis policiais militares, que teriam abordado de maneira violenta o grupo, sem solicitar identificação.
Assustado, o grupo correu e se dispersou, mas os policiais os seguiram. O relato das testemunhas foi transcrito no Memorando 49/PIN-Boca do Acre (AM) e encaminhado à administração regional da Funai. Segundo informações do chefe de posto da Funai em Boca do Acre, Francisco Barroso da Silva, o capitão Hidelberto de Barros Santos lhe relatou que a polícia recebera um chamado para solucionar uma briga, envolvendo um homem que trajava camisa branca e calção preto e armado com um terçado. Ao responder a esse chamado, o capitão e sua equipe encontraram Sebastião, que, naquela noite, trajava camisa branca e calção preto. Após a abordagem equivocada, os policiais perseguiram o indígena, que correu para fugir.

Ainda segundo Francisco Barroso, o capitão Hidelberto lhe afirmou que, durante a perseguição, novos disparos foram feitos pela polícia. A família da vítima, no entanto, teme que tenha havido execução. O corpo de Sebastião Apurinã desapareceu nas águas do Rio Purus e só foi encontrado cinco dias depois.

11 comentários:

SHIPS disse...

PASSEI PRA CONHECER SEU BLOG E PARABENIZO PELA DECLARAÇÃO DENÚNCIA AO FATO QUE ACONTECEU COM OS INDIGENAS......

FICA AKI REGISTRADO MINHA PASSAGEM
UM ABRAÇÃO


SHIPS

Angela Ursa disse...

Ships, venha sempre que quiser! A Floresta é para todos os amigos :)) Abraços da Ursa!

Lia Noronha disse...

Ursa: td maravilhoso nesta floresta encnatada!
bjus bem carinhosos diretamente do meu Cotidiano.

Angela Ursa disse...

Lia, uma ótima semana para você. Beijos floridos da Ursa :))

Janaina Staciarini disse...

Ai, Angela, que coisa absurda. Eu sei que a maioria de policiais é feita de gente boa, mas estamos vendo tanta barbaridade por aí, não é? Um horror.

desassistidas disse...

Oi Angela, mto triste este povo que não valoriza nossas raizes.
seu blog é fantástico...
abraços,
THA

Angela Ursa disse...

Janaína, infelizmente, ocorrem esses tipos de violência. Beijos!

Tha, é verdade, são as nossas raízes, que muitos ignoram e tentam destruir. Beijos!

Jonas Prochownik disse...

Ursa amiga, infelizmente existem maus policiais. Beijos do teu amigo que deseja uma otima semana pra vc., Jonas.

Márcia(clarinha) disse...

Que triste ainda hoje acontecer esse tipo de crime :(
Estamos cercados de violência do Oiapoque ao Chuí...
Feliz semana querida,
beijosssssssssss

Matilda Penna disse...

É, a violência anda tamanha que vem de todos os lados e alcança as mais diversas vítimas.
Uma pena...
beijos, :).

Angela Ursa disse...

Jonas, uma ótima semana para você também. Beijos da Ursa :))

Márcia Clarinha, beijos florestais da Ursa!

Nambiquara, o combate à violência deveria ser um dos principais objetivos dos políticos, mas eles só pensam em poder e dinheiro. Beijos da Ursa!