quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Ilha de Paquetá
Paca: Ela gosta muito de açúcar. A paca é maior que a cobaia e tem pernas mais longas. Ela se caracteriza pelo seu pelame duro e eriçado, vermelho com manchas brancas. As pernas são fortes e terminam em grandes unhas afiadas. Ela possui quatro dedos nas patas dianteiras e cinco nas traseiras. Sua cauda é minúscula. A paca é encontrada na América do Sul. desde a bacia do Orenoco até o Paraguai. Ela vive nas florestas tropicais, de preferência perto de um rio ou riacho. É boa nadadora e gosta da água, que é o local onde ela se refugia quando está em perigo. Sua toca tem muitas saídas de emergência, bem escondidas por folhas. A paca passa o dia na sua toca. Ali, a fêmea tem suas ninhadas. São duas por ano de um filhote cada uma. Muito comilonas, as pacas passam a noite inteira em busca de alimento. Elas comem folhas, raízes e frutos caídos no chão (Fonte das informações)
______________________________
Índios da Ilha de Paquetá
(Fonte:
Riotur)
O nome Paquetá significa muitas pacas na lingua indígena “nheengatu” . Esta era a língua falada pelos índios Tupis na Baía de Guanabara por ocasião da chegada dos portugueses ao Rio de Janeiro. Há referências da existência de pacas em grande quantidade na ilha de acordo com o relato dos navegadores da época, confirmando o acerto do nome.
História
Paquetá foi ocupada pelos índios Tamoios até o final do século XV. O viajante francês André Thevet registrou a descoberta da ilha em dezembro de 1555. O Rei Henrique II da França reconheceu a ilha em 1556.
Durante a invasão francesa os índios Tamoios, seus aliados, foram um foco de resistência em oposição aos colonizadores portugueses. Araribóia, líder dos índios Temininós, apoiava a facção portuguesa. Os portugueses acabaram por derrotar e expulsar os invasores franceses, ocasião em que os índios Tamoios foram derrotados e quase exterminados.Os portugueses dividiram então a ilha em duas sesmarias. Fernão Valdez ficou com a parte denominada Ponte e Inácio de Bulhões, outro português, ficou com a área denominada de Campo. Ainda hoje esta divisão continua existindo provocando rivalidades durante os eventos festivos na ilha, brincadeiras e blocos carnavalescos e mesmo em jogos de futebol. Paquetá durante os períodos colonial e imperial fornecia produtos de horticultura para a corte além de fornecer também madeira e pedras para construção. Sua população era formada por membros da nobreza, senhores de terra e escravos.Paquetá se tornou, já no final do século XIX, uma atração turística com a publicação do livro “A Moreninha” que atraiu, desde então, visitantes para apreciar suas bucólicas atrações.

6 comentários:

janaina de alemida disse...

A paca é muiito fofinha e embeleza mais ainda a Florets ada Ursa.
Beijos floridos e acoro o canto dos uirapurus em seu blog.Um abraço.

Angela Ursa disse...

Janaina, a paca lembra um pouco a capivara. Beijos floridos da Ursa :)) PS: O uirapuru ficou todo bobo com o seu comentário ;))

Janaina Staciarini disse...

Ah, eu não conheço a Ilha de Paquetá.
Acho as pacas lindas "pacas"!
Hauahauah

Aline Christal disse...

Adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii sua floresta virtual Angela!!! Parabéns pela iniciativa. Voltarei.

Angela Ursa disse...

Janaina, Paquetá é uma ilha muito bonita. Lá parece que a gente está em outra época. Pena que não dá para mergulhar nas praias porque lá não tem ondas e isso ajudou a poluir o mar. Beijos!

Aline, obrigada pela visita e pelas suas palavras. Volte sempre! Beijos florestais da Ursa :))

Lia Noronha &Silvio Spersivo disse...

Ursa: Paquetá...já foi uma ilha maravilhosa...passei muitas férias por lá.
Bjus bem carinhosos pr ati