sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Manaus - curumim d´água (Foto por: Pedro Mendonça)

Conheçam o belo blog indígena CURUMIM, de Anorkinda


Povos indígenas no Estado de São Paulo

(Fonte das informações: blog Curumim)

A existência de povos indígenas vivendo no Estado de São Paulo ainda é pouco conhecida por grande parte da população brasileira.
No entanto, os índios no Estado de São Paulo somam uma população considerável, que aumenta a cada ano. No censo de 2000, o IBGE levantou a existência de uma população de 63.789 indígenas no Estado de São Paulo. Desse total, cerca de 4.000 indígenas, dos povos Guarani, Kaingang, Terena e Krenak, residem em 31 Terras Indígenas, localizadas na Capital, na Baixada Santista, no Litoral Norte, no Oeste Paulista, no Vale do Ribeira e no Complexo Estuarino Lagunar Cananéia-Iguape. Os Guarani (Mbya e Nhandeva) compõem a maior população indígena vivendo em Terras Indígenas no Estado de São Paulo. Em março de 2005 eram, aproximadamente, 3.200 Guarani, distribuídos em 31 aldeias. O restante vive na Região Metropolitana de São Paulo. Já em 1998, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do IBGE indicava uma população de 33.829 indígenas na Região Metropolitana de São Paulo. Grande parte desses índios é proveniente do Nordeste, como os Pankararu, os Fulni-ô, os Pankararé, os Atikum, os Kariri-Xocó, os Xucuru, os Potiguara e os Pataxó.

9 comentários:

Dona Sra. Urtigão disse...

Bela foto. Gostei da indicação e muito das informações.
Abraço.

ANORKINDA disse...

Legal Ursa!!

Unidos todos...\o/

Angela Ursa disse...

Dona Sra. Urtigão, beijos da Ursa :))

Anorkinda, gosto de divulgar os blogs indígenas. E o seu é muito bonito! Beijos da Ursa :))

Índia disse...

A foto é linda, deu até saudade de um banho de rio. Obrigada pelas informações no post. Não sabia quase nada sobre a população indígena em SP.

Beijão.

Maira Parula disse...

que delícia. queria estar ali dentro d'água com o curumim.

janaina de almeida disse...

Ursa, com um calor desses dá até uma inveja branca do curumim.
Sobre a Estação Arco Verde do metrô ainda existe aquela esteira rolante(não tenho paciência em ficar parada até acabar aquela esteira).
Mas a Estação é linda.
Beijos floridos e carnavalescos.

Gená F. disse...

Angela,
não sabia que eram tantos vivendo do seu estado. A foto do curumim é linda.
Beijos!

Angela Ursa disse...

Índia, com esse calorão, dá mesmo vontade estar nesse rio. Beijos da Ursa

Maira, que surpresa! Adorei a visita. Beijos da Ursa :))

Janaina, então ainda tem a esteira rolante na estação arcoverde! Eu usava às vezes de brincadeira, porque demora muito mesmo :)) Beijos floridos!

Gená, a floresta paulista tem muitas tribos sim :)) Beijos!

VINICIO SANTOS disse...

Solicito al pueblo de Guatemala y del mundo a mi defensa diaria televisiva contra mis secuestradores por causa de mis calumniadores quienes engañaron a Guatemala bajo las calumnias de prevaricador consecuente a la calumnia de violador sexual masoquista por una necrofilia voyeurista popular frustrada por los tales cuando me calumniaban de prevaricador por motivo de que soy la encarnacion divina de los Dioses aborigenes del mundo y de Guatemala como tambien del cristianismo y de los extraterrestres. La razón de mi defensa es de que me liberen de la esclavitud macabra de hacer la paz del mundo infructuosamente por mis calumniadores porque desean rematarme cuando la alcance absoluta paz. Deseo ser lider de la paz para tener privilegios sociales en vez de secuestro de esclavizarme con la paz inminente a mi muerte de desmantelarla por mis calumniadores. Mis secuestradores son políticos traicioneros que se retractan de la paz del mundo por causa de mis calumniadores para mi culminante muerte de usurparme la paz del mundo que nunca alcanzarán porque no cumplen con los requisitos populares. Me están supeditando el buffer del teclado.

Atentamente:
Jorge Vinicio Santos Gonzalez,
Documento de identificacion personal:
1999-01058-0101 Guatemala,
Cédula de Vecindad:
ORDEN: A-1, REGISTRO: 825,466,
Ciudadano de Guatemala de la América Central.