sábado, 5 de novembro de 2005

Indígenas e discriminação (Fonte: site Grumin / Rede de Comunicação Indígena)
Leiam o Testemunho feito por Eliane Potiguara sobre a situação indígena brasileira ao Relator Especial da ONU sobre Formas Contemporâneas de Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância relacionada à questão racial - Sr. Doudou Diène.
(*) Eliane Potiguara é remanescente Potyguara, nasceu num gueto indígena no Rio de Janeiro. Tem 55 anos, é escritora e professora. Foi indicada no Projeto Mil Mulheres para o Prêmio Nobel da Paz. Coordena o Grumin/Rede de Comunicação Indígena e criou a primeira organização de mulheres indígenas do país, o Grumin/Grupo Mulher-Educação Indígena, em 1989. É Diretora do Inbrapi (Instituto Indígena Brasileiro para a Propriedade Intelectual) e Conselheira e uma das fundadoras do Comitê Intertribal. É autora do livro Metade cara, metade máscara, S.Paulo, Editora Global, Série Visões Indígenas, 2004. A série é coordenada por Daniel Munduruku, escritor indígena.

5 comentários:

Jôka P. disse...

URSA !!!
Qualquer tipo de preconceito ou discriminação é coisa de gente ordinária.
E como tem mané de quinta por aí, né !!!
Discriminação é uma M#*rD@A !!!!
Só falando assim meRRRRmo.
;(
Bjs,
JÔKA P.

Palpiteira disse...

Viu que linda que eu fiquei??? Esse nosso Jôka é mesmo tudo de bom, né?
Então, danada essa índia, hein? Tá fazendo bonito.
Mas discriminação e preconceito sempre vão existir. Os irracionais têm, calcule entre nós - os ditos racionais -, de onde todo mal surge.
Beijo. Bom fim de semana.

Angela Ursa disse...

Jôka, concordo totalmente com você. Abaixo o preconceito! Beijos da Ursa ;))

Super palpiteira, você está muito elegante no retrato feito pelo Jôka. Parece até a Rita Hayword :)) Beijos para a modelo!
Pois é, na nossa sociedade o preconceito é muito grande.

nanbiquara disse...

Jôka P. concordo, é isso mesmo.
Triste isso não, Angela Ursa?
Beijos, :).

Angela Ursa disse...

Pois é, amiga nanbiquara, o preconceito cega as pessoas. Beijos!