sexta-feira, 25 de maio de 2007

Na Amazônia, as cavernas são habitadas por seres da floresta. Além da vitória-régia,aqui há escorpiões, baratas gigantes e o estranho amblipígio.

Amazônia subterrânea
(Informações e fotos extraídas de matéria de Adriano Gambarini, Revista Terra )

O oeste do Pará esconde a maior concentração de cavernas de arenito do Brasil. Uma descoberta no coração da Amazônia que só agora começa a ser revelada

TESOURO ENTERRADO
As cavernas amazônicas vêm sendo exploradas há 15 anos, mas só agora o Brasil começa a conhecer segredos como a Planaltina, uma das maiores cavernas de arenito do país.

As dolinas são o primeiro indício de que há algo estranho. Dolinas são depressões na superfície da terra, formadas pelo desabamento do teto de alguma suposta caverna. Quando elas aparecem, são um forte sinal de que há cavernas pelas redondezas. Mas num mundo de igarapés, cipós e árvores gigantescas, topar com cavidades subterrâneas é a última coisa que se espera. Mas a suspeita se confirma. Quando a selva se abre, surge um grande paredão rochoso que guarda a entrada de pequenas grutas. Um lago de águas paradas coberto de vitórias-régias serve de ante-sala.
Nas outras duas cavernas possíveis de visitar na região, a Amazônia continua surpreendendo. A Caverna Leonardo da Vinci é formada por um tipo de rocha sedimentar denominada folhelho, ainda mais rara na formação de cavidades. Com salões baixos e escuros, ela tem uma grande quantidade de guano dos morcegos, que, além de atrair baratas e grilos, provocou a formação de pequenas e intrigantes estalactites vermelhas de fosfato, numa complicada reação química com a rocha. Já na Caverna Pedra da Cachoeira, a surpresa está do lado de fora: a poucos passos de um pórtico de entrada de 20 metros de altura, uma bela cachoeira. Perfeita para aliviar o cansaço das trilhas e da descoberta de que, aqui, é possível encontrar lugares ainda mais escuros do que a floresta impenetrável. Na Amazônia, tudo é possível.

7 comentários:

Jôka P. disse...

Dona Ursa, aqui no Rio fez muito frio essa noite, mas agora (10:30h) abriu um sol morno e a prai de Copacabana voltou a sorrir feliz.

Gená Franco disse...

Angela,
cavernas me atraem ... por aqui, belas cavernas: a gruta de Maquiné vale muitas visitas.
Cavernas são quentinhas. Bom lembrar delas nesse frio congelante.
Beijos!

MC disse...

pasa por casa te estamos esperando

Saramar disse...

Eu jamais entraria em uma caverna, ainda mais com morcegos, porém fico encantada imaginando quantos tesouros ainda há para serem descobertos na Floresta Amazônica.
Crei que as novas gerações ainda encontraram o verdadeiro Eldorado de belezas naturais ainda maiores que essas que já conhecemos.
Obrigada.

beijos

Lia Noronha & Silvio Spersivo disse...

Ursa: a Natureza sempre nos surpreendendo...nao é mesmo?
Bjus bem urbanos pra minha amiga dona de floresta mais linda do mundo!!!

Lia Noronha disse...

Saudades suas no meu mais que urbano Cotidiano....Bjin con carin de sempre.

Angela Ursa disse...

Jôka, vim pedir uns chocolates para você ;)) Beijos!!

Gená, depois que a Ursa descobriu as cavernas da Floresta, agora pode hibernar lá nas noites frias ;)) Beijos!!

mc, beijos floridos para você!!

Saramar, eu também morro de medo de morcegos. Uma vez levei um vôo rasante de um nas costas e quase desmaiei de susto (risos) Beijos!

Lia, a Ursa ficou toda boba com o seu elogio à Floresta :)) Beijos carinhosos!